Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Presbíteros diocesanos participam de retiro sobre discipulado e pastoreio com bispo emérito de Marajó

“Presbítero: Discípulo do Senhor e Pastor do Rebanho” foi o tema central do Retiro Presbiteral para 59 padres diocesanos da Arquidiocese de Manaus ocorrido ode 11 a 14 de março, no Centro de Treinamento Maromba, sob a assessoria do Bispo Emérito da Prelazia do Marajó, Dom José Luís Azcona Hermoso, OAR, e a presença do arcebispo Dom Sergio Castriani, os bispos auxiliares Dom José Albuquerque e Dom Tadeu Canavarros, e Monsenhor José Carlos Sabino.

A programação deste retiro anual incluiu laudes, missas e momentos formativos com Dom José Azcona, sendo este  momento de grande importância para os padres. “Todos os anos, na primeira semana da quaresma, o clero de Manaus, assim como o Papa e toda a Cúria Romana, se reúne para os exercícios espirituais. São três dias de oração e meditação, tudo feito no silêncio porque só ele permite uma real comunicação com Deus e uma comunhão com os irmãos que vai além das palavras…  O retiro deste ano foi orientado por Dom José Luiz Azcona, bispo emérito de Marajó. Homem de personalidade forte, com uma espiritualidade carismática, ameaçado de morte por causa da sua defesa das crianças abusadas e traficadas no território de sua Prelazia, deu ao retiro um toque de seriedade e de urgência das coisas do Espírito. Terminamos o retiro mais alegres por termos sido chamados a participar da obra da redenção, mais conscientes de nossas fraquezas, mas com a certeza de que o Espírito nos acompanha”, afirmou o arcebispo Dom Sergio Castriani.

Dentre as palavras proferidas pelo assessor Dom José Azcona, podemos destacar o alerta para a necessidade de entrega do sacerdote em um gesto amoroso como Jesus fez na cruz, sendo os padres testemunhas dos profetas e devem ensinar o povo a caminhar com Jesus, estar à disposição para a oração, adoração, acolhida. “Deus quer que todos os homem sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade, como está na segunda carta a Timóteo… A missão da Igreja é inclusiva e de fazer com que todos conheçam a verdade, o projeto de Deus para a salvação da humanidade. Que todos sejam salvos”, afirmou lembrando ainda que o padre deve ser animado a assumir o sofrimento como bom soldado de Jesus e assim tudo suportar pelos eleitos para que eles alcancem a salvação em Cristo.

Para o padre Flávio Gomes, que é chanceler da Cúria Metropolitana e está à frente de duas áreas missionárias, é um evento de grande relevância para os padres e para a Arquidiocese de Manaus, por ser um momento de retirarem-se e se aprofundarem na vivência de Cristo. “Todo ano temos este retiro que é de suma importância especialmente para os padres diocesanos. É um momento de experiência fraterna e a preparação na quaresma, quando os padres adentram-se na espiritualidade do Cristo crucificado e ressuscitado. Dom Azcona trabalhou a espiritualidade do sacerdote como pessoa humana no meio do povo, dentro de uma sociedade diversificada. Como sacerdote, não podemos perder a identidade, focar muito na oração e no serviço ao povo. Para nós isso é uma grandeza porque nos desperta cada vez mais a importância do pastoreio, a importância de servir dentro da sociedade. Para nós e para a arquidiocese é muito importante essa vivência do retiro é fundamental para adentrarmos cada vez mais na pessoa de Jesus Cristo”, destacou pe. Flávio.

 

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *