Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Seminário aborda diferentes perspectivas sobre desenvolvimento sustentável a partir da Laudato Si

Diante do clamor do Papa Francisco para o cuidado com a Casa Comum e da convocação para o Sínodo para a Amazônia que pretende buscar “Novos caminhos para a igreja e para uma ecologia integral”, em Manaus, a igreja católica, representantes do governo e cientistas estão reunidos no Seminário “Sínodo da Amazônia: contribuições a partir do desenvolvimento sustentável” promovido nos dias 7 e 8 de março, pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) em parceria com a Arquidiocese de Manaus. O evento é gratuito e o primeiro dia ocorrido no Centro Arquidiocesano São José foi aberto a toda sociedade.

Segundo Cardeal Cláudio Hummes, Presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), hoje, diante da grave crise climática e ecológica que envolve todo o planeta, sabe-se que é preciso tomar medidas para que possamos tentar reverter esse cenário. E dentro desse contexto a Repam trabalhou na região para articular as igrejas na Amazônia Brasileira, mas também nos oito países vizinhos.  “Creio que fazer esse evento em Manaus é muito significativo, com a participação de gente muito qualificada, porque fazendo aqui, a sociedade civil e o governo são convidados a cuidar dessa Amazônia e empenhar-se nesse cuidado, com todas as questões correlatas que existem. Nesses dias vamos embasar e fundamentar cientificamente, historicamente e culturalmente aquilo que envolve o Sínodo, um embasamento para que realmente se encontre esses novos caminhos para a Amazônia”.

Para o professor Virgilio Viana, superintendente geral da Fundação Amazonas Sustentável (FAS),  trata-se de um evento em que se pretende promover reflexões sobre a mensagem do Papa Francisco na Encíclica Laudato Si, que norteia o trabalho do Sínodo Para a Amazônia, um encontro de bispo, mas que tem a perspectiva de escutar diferentes seguimentos da sociedade e depois discutir em grupos de trabalho o que se pode contribuir com o Sínodo através dos bispos presentes no encontro que participarão do evento em Roma, no mês de outubro. “Esse é um momento em que se convoca todas as pessoas para uma reflexão sobre a mensagem do Papa de como cuidar da nossa casa comum e ao mesmo tempo promover o desenvolvimento humano com olhar especial para os pobres que fazem parte dessa reunião. Nós tivemos a perspectiva da igreja  através do Cardeal Dom Claudio Hummes, da Rede Eclesial Pan-Amazonia (Repam) e do Monsenhor Marcelo Sorondo, da Academia de Ciências, além de diferentes cientistas e pesquisadores da área do desenvolvimento sustentável, econômica, social, dentre outros” , explicou o professor Viana.

Após a apreciação do canto da Ave Maria Amazônica, pelo grupo Grupo Gaponga, iniciou a primeira seção do evento com a mesa de abertura norteada pelo tema “A visão do Papa Francisco sobre o cuidado com a casa comum (Laudato Si’) e a Amazônia”, com a participação de Dom Cláudio Hummes, Presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam); Monsenhor Marcelo Sanchez-Sorondo – Chanceler da Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano; Dom Sergio Eduardo Castriani; Arcebispo da Arquidiocese de Manaus e o Professor Virgilio Viana, Superintendente Geral da Fundação Amazonas Sustentável.

O Arcebispo de Manaus, Dom Sergio Castriani, destacou em sua fala que este é um encontro importante para toda a sociedade pois destaca a importância das palavras do Papa Francisco na Laudato Si, além de destacar a importância do Sínodo para a Amazônia e desde já refletir  no que o Amazonas, com seus diversos atores, pode contribuir para uma ecologia integral. “A Laudato Si foi uma resposta ao que percebi há muitos anos quando vim ser missionário na Amazônia e muito foi feito com a formação de lideranças nas comunidades visando o cuidado da Casa Comum, que culminaram em iniciativas importantes como a criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, que acompanhei de perto, dentre outras”, afirmou o arcebispo de Manaus.

Depois a temática “A Encíclica Laudato Si’ e o futuro do Estado do Amazonas” foi abordada a partir da pergunta norteadora “Como o tema do desenvolvimento sustentável da Amazônia se relaciona com os ensinamentos contidos na Encíclica Laudato Si’?”, tendo como moderadora Patrícia Gil Cabral, Presidente do Conselho de Leigos e Leigas da Arquidiocese de Manaus, que conduziu o momento onde estiveram presentes: Eduardo Taveira, Secretário de Estado de Meio Ambiente e Representante do Governador do Estado do Amazonas; Antônio Nelson Oliveira Júnior, Representante da Prefeitura de Manaus; General de Exército César Augusto Nardi de Souza – Comandante Militar da Amazônia;  Jaiza Maria Pinto Fraxe, Juíza Federal da 1ª  Vara do Amazonas do Tribunal Regional Federal da 1ª Região; Fernando Merloto Soave, Procurador da República do Ministério Público Federal; Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, Desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas; e Jorge Pedroso Jordão, da Comissão de Relações Internacionais da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas.

Em todas as falas foram destacados pontos chave da Encíclica Laudato Si, de acordo com as diferentes perspectivas, a partir do campo de atuação de cada debatedor.

 

Mais detalhes sobre o evento em breve aqui no site da Arquidiocese de Manaus.



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *