Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Solenidade de abertura da CF – 2019 reúne aproximadamente mil pessoas no Paço da Liberdade

“A Quaresma é tempo de Campanha da Fraternidade (CF) e não pode haver conversão sem consequências na vida prática e na política, e não se muda nada sem políticas públicas, pois sem políticas reais fica tudo no palavreado e boas intenções”, assim ressaltou o Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani, durante a solenidade de abertura da CF- 2019 realizada na manhã desta quarta-feira de cinzas (6/3), no Paço da Liberdade, localizado à rua Gabriel Salgado – Centro, atrás do colégio Dom Bosco, local também conhecido como Paço Municipal e já foi sede por muitos anos da Prefeitura de Manaus.

A CF existe desde 1964 e tem sido uma atividade ampla de evangelização, desenvolvida na Quaresma, para ajudar os cristãos e pessoas de boa vontade a viverem a fraternidade em compromissos concretos, provocando, ao mesmo tempo, a renovação da vida da Igreja e a transformação da sociedade, a partir de problemas específicos, tratados à luz do Projeto de Deus. Esse ano, a CF traz como tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça”. Segundo os organizadores do evento, cerca de mil pessoas, entre leigos e religiosos, pertencentes aos grupos, movimentos, ministérios, pastorais e forças vivas de todos os setores da arquidiocese, e representantes do poder público estiveram presentes.

Durante a abertura, faixas e cartazes reivindicando direitos esquecidos pelo poder público estavam por toda parte. Entre as frases estavam “Pobreza e falta de emprego”, “Doentes sem atendimento”, “Educação mal cuidada”, “Corrupção e desinteresse pelo povo” entres outras faixas que surgiam a cada apresentação com a participação de pastorais e movimentos. “A igreja católica já tem certa experiência histórica, pois desde a década de 60 trabalha temas relevantes para a sociedade e, esse ano não será diferente. Tenho certeza que essa temática vai ajudar as pessoas a pensarem, refletirem sobre políticas públicas a partir da Palavra de Deus e assim se gere mais fraternidade”, destacou padre Geraldo Bendaham, Coordenador de Pastoral Arquidiocesano e coordenador geral do evento.

Segundo Patrícia Cabral, Presidente do Conselho de Leigos e Leigas da Arquidiocese de Manaus , afirma que ainda que a população não goste do cenário político, é dever se aproximar e lutar pelos direitos básicos que constam na Constituição Federal. “Não tem como eu dizer que não me envolvo com política, posso até não gostar do cenário político atual, mas a CF está ai para chamar a ter um gesto e uma ação concreta e uma das formas de isso acontecer é entendendo o que são políticas públicas e trabalhar as pessoas da nossa base que são as pessoas que atuam nas pastorais sociais e grupos, que realmente pensam no bem comum de todos para que eles sejam nossos futuros representantes”, comentou Patrícia.

De acordo com o Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sérgio Castriani, a igreja precisa participar de conselhos igualitários para sabermos como funciona os mecanismos do poder. “A CF foi adquirindo ao longo do tempo um aspecto social ao falar dos menores abandonados, das cadeias, dos idosos, da ecologia e assim por diante, precisamos nos engajar nas politicas públicas, nas esperar apenas pelos políticos, mas também fazer a nossa parte, pois nós não temos que ter medo de usar o poder, porque o poder é dom de Deus também, só temos que saber com usá-lo, usar para o bem e não para o mal. Espero que essa Campanha nos traga frutos duradouros para o nosso país, principalmente agora que estamos passando por esse processo de transição política que não sabemos o que pode acontecer”, disse Dom Sergio.

Um pouco mais sobre a Campanha da Fraternidade

Trata-se de uma campanha que envolve a comunidade católica com diversas ações pastorais em todas as regiões do Brasil, sempre abordando temas atuais, que a cada ano propõe uma transformação social e comunitária, seja ela em desafios sociais, econômicos, culturais e até mesmo religiosos, onde toda a população envolvida na Campanha da Fraternidade é convidada a ver, julgar e agir. A Campanha da Fraternidade sempre começa na quarta-feira de cinzas e acontece durante o ano todo, não termina depois da Páscoa como muitos pensam.  Durante o período de realização ocorrem diversas ações pastorais, e o tema escolhido é trabalhado, debatido e refletido com a comunidade, com uso de ferramentas como cartazes, desenhos, músicas, texto-base, textos voltados para cada pastoral, vídeos e muito mais.

O objetivo da campanha em 2019 é estimular a participação dos cristãos em políticas públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais da fraternidade. O texto-base da campanha descreve, entre outros tópicos, sobre o ciclo e etapas de uma política pública e faz a distinção entre as políticas de governo e as políticas de Estado, bem como apresenta os canais de participação social, como os conselhos previstos na Constituição Federal de 1988.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *