Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Doutora em comunicação vem à Manaus ministrar curso para comunicadores cristãos

“A espiritualidade do comunicador cristão e a pastoral na cultura digital” foi o tema do curso ministrado pela Irmã Joana T.  Puntel, irmã Paulina, do Serviço à Pastoral da Comunicação (SEPAC), ocorrido nos dias 2 e 3 de março, no auditório do Colégio Preciosíssimo Sangue.  Foram dois dias de muita reflexão sobre o papel do comunicador, a necessidade de experimentar Deus para evangelizar através do serviço pastoral, e sobre a abertura para as novas tecnologias que permitem ultrapassar diversas fronteiras, sendo luz para aqueles que todos os dias estão conectados e buscam respostas existenciais por meio das redes sociais. ao todo foram 60 participantes, sendo um da Diocese de Coari e dois da Prelazia de Itacoatiara.

Promovido pela Pastoral da Comunicação Arquidiocesana, o curso veio atender a algumas das necessidades já levantadas junto aos agentes de Pascom, sendo esta uma das muitas atividades que serão oferecidas ao longo deste ano.  “Com o curso foi possível refletir sobre a espiritualidade do comunicador cristão, fazer memória sobre os principais documentos da igreja, e também sobre a evolução da visão sobre a comunicação. Nós refletimos as novas linguagens que existem na cultura digital e partilhamos várias experiências sobre o assunto. A avaliação feita por quem participou do curso foi muito positiva, todo o nosso esforço para trazer a Dra. Joana Puntel para nos assessorar neste curso foi extremamente válido e a gente agradece a todos os apoiadores do curso. Pra 2019, a Pascom Arquidiocesana tem várias atividades programadas que em breve serão divulgadas”, explicou Adriana Ribeiro, coordenadora da Pastoral da Comunicação Arquidiocesana.

Para ministrar tão importante conteúdo foi convidada a Ir. Joana Puntel que é jornalista, mestre em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo, doutora em Comunicação Social pela Simon Fraser University (Canadá) e pós-doutora pela London School of Economics and Political Science (Inglaterra). Pertence à Congregação das Irmãs Paulinas, atua como coordenadora, orientadora pedagógica, docente em nível de pós-graduação no Serviço à Pastoral da Comunicação (Sepac) e como professora no Instituto Teológico de São Paulo e no Studium Theologicum de Curitiba. É uma das maiores referências atuais quando se trata de temas relacionados à comunicação, especialmente na Igreja Católica.

Durante o primeiro dia do curso irmã Joana deu enfoque à espiritualidade, destacando que além das especialidades para atuar na Pastoral da Comunicação o agente precisa ter uma vivência cristã para poder passar uma mensagem através do seu serviço.  Depois avaliou os vários sentidos para o educar, preparando pessoas para o mundo, com os os cuidados necessários para o pleno desenvolvimento da sua personalidade, impregnando no indivíduo os valores que o acompanharão para o resto da vida, reconhecendo que possui potencial que será capaz de transformar o mundo.

Durante o curso os participantes também foram levados a entender um pouco da era digital e a necessidade de educar para o digital diante de uma sociedade em contínua transformação, com um olhar crítico diante das muitas consequências para a sociedade, visto que, com a cultura digital, surgem novas formas de relação social que são frutos de uma série de mudanças históricas, mas que não podem desenvolver-se sem internet.

Irmã Joana alertou para o cuidado em reduzir o agente apenas às técnicas que ele pode oferecer na Pascom, reduzindo-o à sua habilidade, sem trabalhar a espiritualidade dele, e isso é reflexo da própria igreja que demorou a mudar sua visão sobre a comunicação desde a Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano de Medellin, em 1968, que reduzia aos meios, passando por Puebla, em 1979; Santo Domingos, em 1992; e Aparecida, em 2007, quando finalmente passou a considerar o aspecto pastoral da comunicação, chegando ao Diretório de Comunicação, lançado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em 2014, no momento em que a igreja é interpelada pelas mudanças trazidas à sociedade contemporânea e pela revolução digital.

Ao recordar algumas mensagens dos papas para os dias mundiais de comunicação, Dra. Joana refletiu que hoje o mundo experimenta uma explosão tecnológica, devido a uma transição na socialização de informações que permite maior consumo de informações e conteúdos. Também destacou a existência de uma nova arquitetura do processo comunicativo, onde é necessário abrir-se para as ferramentas da cultura digital repletas de interatividade, em que os  receptores também são interlocutores.

“Para o agente atuar na Cultura Digital precisa entender o contexto onde nós vivemos e se interessar um pouco no que ela consiste. Não é simplesmente eu pegar um smartphone e enviar um whatsapp, é preciso entender qual é a lógica que está por traz e o que está modificando nas relações. Tudo isso tem uma incidência muito grande para nós vivermos como cristãos, praticarmos a nossa fé e encontrarmos a maneira cristã de estar nas redes como o papa Bento XVI nos fala [em uma das mensagens para o dia mundial das comunicações]. Temos que fazer parte da construção das redes sociais e usá-la para o bem. Nós devemos ser construtores do respeito, do diálogo, da verdade nesses meios. Não está em questão ser vilão ou idolatrar. A questão é saber quem é o ser humano no meio disso tudo, o ser humano que merece e deve dar o respeito e o testemunho de Deus, que é o nosso caso”, destacou a irmã Joana Puntel.

 

   



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *