Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Novena marca a despedida de Pe. Amarildo como pároco de N. Sra. do Perpétuo Socorro

Aproximadamente 3 mil fiéis, vindos dos quatro cantos da cidade, lotaram o Centro de Convenções do Studio 5 na noite desta quinta-feira (27/12), para participarem da última novena do ano em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padroeira dos Redentoristas. O evento também marcou a despedida do pároco, Pe. Amarildo Luciano (CSsR), que durante oito anos esteve à frente da paróquia de N. Sra. do P. Socorro, que fica situada à Rua Inocêncio de Araújo, 44bairro de Educandos, pertencente ao Setor Maria Mãe da Igreja da Arquidiocese de Manaus.

O evento começou às 18h, com o Movimento Terço dos Homens conduzindo a oração do terço com os devotos que aos poucos iam ocupando todas as cadeiras do local, tendo a frente o Coordenador Arquidiocesano e Regional Norte 1 e Noroeste, Manoel Miranda e o Diretor Espiritual, Pe. Hércules Lima que, finalizaram o momento com cerca de 150 “Guerreiros de Maria”, de todas as idades, da criança ao ancião, subindo ao palco, cantando e rezando todos juntos, a oração pelas famílias num momento de muita emoção entre os presentes.

Logo em seguida, iniciou-se a novena presidida por Pe. Amarildo, concelebrada pelo Coordenador do Setor e pároco da paróquia N. Sra. Consoladora dos Aflitos, Pe. Thiago Barbosa; além dos padres Charles Cunha; Hércules Lima e José Moura. Visivelmente emocionado, Pe. Amarildo deu as boas vindas aos presentes e conduziu todos os momentos com muita serenidade no olhar, como aquele pastor que olha atentamente para suas ovelhas com muito amor e feliz pelo trabalho realizado ao longo dos anos, cujo resultado foi visto por meio do carinho dos devotos para com ele.

Em sua homilia, Pe. Amarildo falou a respeito de sermos luz e assim como Maria, podermos iluminar com a Luz do Senhor, para ser um farol que ilumina quem está nas trevas, “Devemos sair dessa celebração, iluminando e abençoando aos outros, isso é partilhar a graça que recebemos por meio da proclamação da Palavra, nos colocando diante do Senhor, assim como fez Nossa Senhora e se tornou uma mulher iluminada, por isso que quando estamos perto de Maria, estamos perto da Luz e devemos ser igual ao farol, que ilumina os caminhos e os passos do outro”, disse Pe. Amarildo.

O padre finalizou a homilia fazendo um breve comentário a respeito do incêndio que aconteceu no último dia 17 deixando várias famílias do bairro do Educandos desabrigadas, mas que felizmente não causou nenhum óbito. “O discípulo do Senhor, mesmo diante das dificuldades, mesmo diante das tragédias, consegue enxergar e valorizar a vida, pois sabemos que quem tem fé também sofre, chora e adoece, mas quem tem fé, tem mais força para suportar o sofrimento. Por isso eu desejo muita fé, confiança e luz para todos nós no ano que vem”, finalizou.

Antes de encerrar a celebração, a paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro fez uma homenagem ao pároco com a exibição de um vídeo e também com a proclamação de uma mensagem em nome das três comunidades. Muito emocionado e com poucas palavras o padre agradeceu ao carinho e comentou a respeito da sua saída para assumir uma nova missão no Santuário de Aparecida.  “É um momento de ação de graças que a gente reconhece e valoriza a ação dos agentes de pastorais e dos leigos nas comunidades, pois sem eles não conseguiríamos realizar quase nada. Esse é um momento de gratidão a cada um deles e sabemos que na paróquia nada começou comigo e não vai terminar comigo, cada padre deu sua contribuição e colaborou de alguma forma”, disse.

A despedida dos fiéis

Não há dúvida que o clima era de total emoção. Uma mistura de sentimentos, alegria e tristeza ao mesmo tempo. Tristeza pela despedida e alegria por saber que o querido pároco e amigo sai para se dedicar em uma nova e importante missão como novo Vice-Provincial dos Redentoristas, onde tomará posse no próximo dia 3 de janeiro. Fora a demonstração de carinho em cima do altar, com vídeos e mensagens, o público também fez questão de, ao finalizar a celebração, poder dar um abraço, pedir a benção e até registrar o momento com fotos, o padre muito solícito atendeu a todos com muita atenção até o último fiel.

Para a dona Cleider Borges, Ministra da Eucaristia da Comunidade de N. Sra. Auxiliadora da paróquia de São Bento, o padre Amarildo é um homem que tem o dom da palavra, que torna todos os momentos que está presente, muito emocionante. “Sempre que posso participo da novena em N. Sra. do Perpétuo Socorro. Essa novena de hoje foi muito linda e inesquecível, senti o Espiríto Santo nos envolvendo e as palavras do padre Amarildo nos conduz com muita emoção nesses momentos de oração, ele é realmente um homem iluminado”, disse a ministra.

Não só os que vieram de longe reconhecem o carisma do padre redentorista, os “de casa”, que conviveram diariamente com ele nesses últimos oito anos também são só elogios. “Todo dia 27 eu participo da novena pois moro bem atrás da igreja, não há duvida que sentiremos a falta do Pe. Amarildo que é muito querido e nosso amigo, vimos o quanto ele se importa mesmo com as pessoas e o quanto se empenhou para ajudá-las, principalmente durante esse incêndio que ocorreu, onde eu fui voluntário desde o primeiro dia e vi o quanto Pe. Amarildo se dedicou também.” Comentou o paroquiano Aldejam Nascimento.

Sobre a devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

A devoção à Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro, é uma devoção universal, conhecida e venerada em todos os continentes do mundo, talvez a mais ampla e conhecida devoção de Nossa Senhora, especialmente no Oriente. No mundo todo são realizadas as famosas Novenas Perpétuas em honra de Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro. Em 1866, o Papa Pio IX o entregou aos Padres Redentoristas a responsabilidade de divulgar essa devoção, o que eles fazem ainda hoje.

O famoso e conhecido quadro de N. Sra. do P. Socorro foi pintado em estilo bizantino e representa Nossa Senhora, Mãe de Deus, a Senhora das Dores, que socorre seu Filho ainda Menino assustado diante da visão de São Miguel com o vaso de vinagre à esquerda e São Gabriel com a Cruz à direita. A Criança divina assustada diante desses instrumentos de sua Paixão se refugia nos braços de sua Mãe, agarra em suas mãos e deixa cair a sandália do pé direito. A Mãe a acolhe e a prepara para um dia viver a Paixão redentora da humanidade.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *