Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Cáritas realiza a 8º edição da Feira de Economia Solidária nos Festejos de N.Sra. da Conceição

A Cáritas Arquidiocesana de Manaus realizou nos dias 7 e 8 de dezembro, a 8ª Feira de Economia Solidária que, pela segunda vez, aconteceu junto aos Festejos de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, reunindo em frente à Praça da Matriz, cerca de 50 barracas das pastorais e movimentos da arquidiocese que, das 9h até às 22h venderam seus produtos, entre eles: artesanatos, confecções, comidas típicas e muitos outros. Além da exposição de produtos, também houve apresentações culturais de teatro, dança e artistas locais como: Banda Madrigal Sagrada Família, Kabanos, Lucilene Castro & Márcia Siqueira, e Coração Azul com o melhor das toadas.

A Feira vem finalizar a Semana da Solidariedade, realizada pela Cáritas no mês de novembro, com atividades nas paróquias, áreas missionárias, escolas e universidades que visam um despertar para a cultura da solidariedade. Essas atividades consistem em palestras, oficinas, seminários, além de encontros de partilha e troca de saberes com os grupos que acompanhados pela Cáritas e, desde o ano passado, o encerramento dessas atividades vem sendo realizada durante a Festa de Nossa Senhora da Conceição, fruto da parceria com a Catedral Metropolitana de Manaus.

De acordo com Antônio Fonseca, da equipe de coordenação, o objetivo da 8ª Feira de Economia Solidária é “apresentar à sociedade os produtos oriundos de grupos acompanhados não só pela Cáritas, mas também pelas Pastorais Sociais que produzem artesanatos, alimentos, remédios naturais, produtos da agricultura familiar, bazar, entre outros, de forma coletiva, partilhando seus saberes e, sobretudo, construindo uma nova forma de pensar a economia, baseada nos princípios da solidariedade, buscando assim, a construção de uma sociedade mais justa e igualitária”, explicou.

Com toda esse estrutura armada e organizada bem no meio do centro de Manaus, não demorou muito para chamar a atenção dos turistas, visitantes e transeuntes que por ali passavam. Com tantas barracas e com uma variedade de produtos, a parada era praticamente obrigatória e, em pouco tempo o estoque das barracas foi praticamente todo consumido. Segundo o diácono Afonso Brito, secretário executivo da Cáritas, o local e a estrutura das barracas fez todo o diferencial para o sucesso do evento, que esse ano contou com presença da diocese de Coari e de Parintins que também vieram expor seus produtos.

“Esse ano estamos com uma estrutura melhorada nas barracas, com balcões e proteção muito melhor que nos outros anos, sem falar que aqui na praça é um lugar onde circulam muitas pessoas, a visitação aumenta e isso gera a possibilidade de maior visualização dos produtos e, consequentemente mais vendas. Outro aspecto também é que os produtos aumentaram e se diversificaram, indo de barracas com todos os tipos de comidas típicas, até artesanatos indígenas, como panelas e travessas de barro que foram muito bem aceitos. É uma feira alternativa, feita para atender o bom gosto de todos que passam por aqui e também para dar visibilidade ao trabalho realizado pela Cáritas e pela Arquidiocese de Manaus”, comentou Afonso.

Participando pela primeira vez

Entre tantos veteranos, sempre há os “marinheiros de primeira viagem”, como no caso de Linete Farias, da Comunidade de São Francisco Mainã, localizado no lago do Puraquequara, que veio expor seus produtos pela primeira vez na feira e conta que se prepararam o ano todo. “Nossa comunidade vive de maneira sustentável com a natureza e todos os produtos que trouxemos foi resultado do que plantamos ao longo do ano todo, foi uma produção pensada para esse momento e ficamos felizes com o resultado pois conseguimos vender praticamente tudo e pretendemos voltar no próximo ano trazendo não só mandioca, farinha e tucumã, mas também açaí, guaraná e banana”, comentou sorridente.  



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *