Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Dom Sergio preside rito de ordenação presbiteral do diácono Sebastião Maia

Momentos de alegria e emoção marcaram a Celebração Eucarística com rito de Ordenação Presbiteral do diácono permanente Sebastião Monteiro Maia. A santa missa teve inicio às 19h na paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, localizada no bairro do Alvorada 1 e foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani, concelebrada pelo pároco Pe. Wolney Mourão e demais padres convidados, vindos dos quatro cantos da cidade que fizeram questão de participar juntamente com vários diáconos que vieram prestigiar esse momento tão importante na vida de um do seus irmãos, que entra para história ao se tornar o primeiro diácono permanente do Estado a se tornar sacerdote.

Nascido em Manaus no dia 20/01/1951, Sebastião é filho de Astrogildo Monteiro Maia e de Jovelina da Silva Maia, possui uma irmã e três filhos casados. Sua esposa faleceu em 2015, deixando-o viúvo e, como já servia na igreja como diácono permanente, foi aos poucos conversando com os filhos e amadurecendo uma ideia que tinha desde criança, ser sacerdote. “Quando eu era menino eu morava no município de Coari e vivíamos na igreja o tempo todo e vendo a atuação dos padres, uma das nossas brincadeiras era imitar o gestos dos padres e assim surgiu a vontade de ser padre também, mas depois eu me casei e passei 43 anos bem casado, me tornei diácono até ficar viúvo e voltar a amadurecer a ideia de me tornar padre e viver no meio dos meus irmãos à serviço dos mais necessitados”, explicou.

Para o diácono permanente José Torres dos Santos, atual presidente da Comissão Arquidiocesana dos Diáconos (CAD), é um dia memorável e de muita alegria, onde pela primeira vez um diácono permanente da Arquidiocese de Manaus é ordenado padre. “Ele já servia à igreja como diácono e agora ele respondeu esse chamado de Deus para a vida presbiteral e, para nós do diaconato é uma alegria ver um irmão nosso dispondo seu tempo para servir muito mais ao Senhor agora podendo ouvir confissão, assistindo aos doentes e dando a unção dos enfermos, levando a Eucaristia aos pobres e pessoas distantes. Ele não faz isso para buscar status e sim o bem estar das pessoas levando algo a mais que ele não podia quando era apenas diácono”, comentou Torres.

O rito e a celebração

Após a procissão de entrada e da leitura do histórico, a celebração seguiu normalmente. Depois da aclamação do Evangelho, Pe. Wolney apresentou o candidato à Dom Sergio, para iniciar o rito de ordenação presbiteral que começa após a homilia e é marcado pela prostração do candidato; oração consagra tória de ordenação, realizada com a imposição de mãos do bispo; entrega das vestes sacerdotais, realizada pela irmã e seus três filhos; unção das mãos do neo presbítero; entrega do pão sobre a patena e o cálice com o vinho; e a acolhida no presbitério, com o ósculo (abraço) da paz, gesto com o qual Dom Sergio, os demais padres presentes, acolhem o novo sacerdote.

Depois de ordenado, o então Pe. Sebastião tomou seu lugar ao lado de Dom Sergio e dos outros padres no altar, participando do momento da consagração do pão e vinho, sob o olhar atento dos comunitários que lotavam a igreja. Na hora da comunhão, muitos fiéis fizeram questão de comungar com o neo-presbítero, tornando a sua fila para comungar a maior de todas. Carinho esse demostrado pelos comunitários também ao fim da celebração, quando todos fizeram questão de abraçar e parabenizar o novo padre, desejando chuva de bênçãos na sua nova missão com o seu rebanho.

“Eu poderia ter escrito um discurso bonito e programado, mas eu preferi que Deus entrasse em minha mente e deixasse que eu falasse aquilo que está em meu coração e o que eu posso dizer é um muito obrigado a toda a comunidade, aos padres presentes (muitos vindos até de longe), aos irmãos diáconos e ao meu Arcebispo, obrigado a todos vocês, pois a minha vida a partir de hoje, foi despojada de toda a matéria e vou viver só para o serviço da caridade, da Palavra e do amor, estou a disposição da minha igreja e, aonde meu pastor enviar eu vou e farei a obra em nome de Deus”, disse Pe. Sebastião em seu discurso de agradecimento.

Histórico da caminhada religiosa

Sebastião Monteiro Maia foi batizado na Paróquia São Sebastião no dia 25/8 1951 por Frei José Leonissa. Fez Crisma na Catedral de Nossa Senhora da Conceição no dia 31/03/1968 pelo bispo Dom João de Souza Lima. Casou-se na mesma igreja do seu batizado com a senhora Eliana de Oliveira Ramos em 20/01/73, com quem teve cinco filhos, dois já falecidos.

Em 2000 ingressou na Escola de Diáconos, sendo seu reitor o Pe. Olindo Fullaneto. Cursou Teologia no Seminário São José, obtendo conclusão em 2010. Neste mesmo ano recebeu os Ministérios de Leitor e Acólito, conferidos por Dom Mário Antônio, na Catedral Nossa Senhora da Conceição.

Trabalhou pastoralmente na igreja de Santa Cruz – Conjunto Ajuricaba, como Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão, junto ao padre Nestor. Em 2011 foi ordenado diácono por Dom Mário Antônio na Catedral Nossa Senhora da Conceição, sendo provisionado para exercer o diaconato na mesma, onde ficou até janeiro de 2015, sendo enviado no mesmo ano para a igreja Nossa Senhora Auxiliadora, no bairro do Alvorada I.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *