Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Círio de Nazaré: Procissão atrai multidão de fiéis no translado do Santuário de Fátima para a igreja de N.S. de Nazaré

Aproximadamente 15 mil fiéis participaram na manhã deste domingo (14/10), da tradicional procissão do Círio de Nazaré, que chega a sua 63º edição e esse ano, traz como tema “Com Maria anunciando a Boa Nova da Fraternidade e da Paz” e lema “Como resposta à violência, o amor. Somos todos irmãos”. O evento também faz parte das comemorações pelo Jubileu de 70 anos da presença dos Padres do Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras (PIME) no Amazonas, não apenas na capital Manaus, mas também nos municípios de Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Manaus, Manicoré, Maués, Nhamundá, Parintins, Rio Preto da Eva e Urucurituba.

A procissão teve inicio por volta das 7h30, logo após a celebração realizada no Santuário Nossa Senhora de Fátima, onde a imagem chegou na noite anterior, e foi celebrada pelo Reitor do Santuário, Pe. Milton Both e concelebrada pelos padres missionários do PIME, Pe. Daniel Curnis e Pe. Paulo Prashant, respectivamente pároco e vigário paroquial da paróquia Nossa Senhora de Nazaré, situada na Av. Mário Ypiranga, conjunto Adrianópolis, para onde a imagem retornou em procissão, percorrendo as principais ruas do bairro da praça 14 e adjacências, até chegar à igreja onde centenas de outros devotos se uniram à multidão para participar da santa missa presidida pelo Monsenhor Sabino Andrade.

Após a celebração ocorrida no Santuário de Fátima, os fiéis foram tomando seu lugar próximo a corda e rapidamente uma multidão já havia se formado, ansiosos para começar a caminhar, rezar, cantar e pagar suas promessas. E assim, com todos a postos que a procissão realmente iniciou e, nem o sol forte que acompanhou os romeiros durante o percurso, desanimou os devotos que seguiram firme e forte por todo o trajeto. Os que não puderam comparecer, acompanharam tudo pelas ondas da rádio Rio Mar 103,5 MHz, já os que estiveram presentes, muitos iam descalços, outros iam carregando maquetes de casa, foto de carro, ou simplesmente iam distribuindo água para os devotos durante a caminhada, tudo como uma forma de agradecer ou pagar alguma graça alcançada.

Como no caso da dona Cidineth Lima, moradora do bairro da Praça 14, e que participa da procissão do Círio há mais de 40 anos, mas que esse ano fez todo o trajeto de uma forma diferente, junto ao seu pai que estava em uma cadeira de rodas.  “Meu pai teve um AVC em abril do ano passado e esse ano teve um AVC facial, mesmo assim continuamos na caminhada sem desanimar, pois nossa família toda é muito católica e sabemos que Deus nunca nos dá um fardo que não conseguimos aguentar. Depois de passar mais de 15 dias no hospital, fiz uma promessa pela melhora dele e graças a Deus e N. S. de Nazaré ele conseguiu se recuperar”, contou a filha do seu Atayde Jesus de Lima.

Mesmo com a multidão disputando cada centímetro da corda que cercava a berlinda (objeto que conduz a imagem de Nossa Senhora), tudo correu na mais completa paz e tranquilidade. Segundo Franciomar Costa, coordenador da procissão, cerca de 300 voluntários, provenientes das quatro comunidades da paróquia: Jesus de Nazaré (Conjunto Manauense), Nossa Senhora de Nazaré (Praça Nossa Senhora de Nazaré), Santo Antônio (Vila Amazonas) e São João Batista (Conjunto Celetramazon), trabalharam durante o evento. “Nosso trabalho começou muito antes da procissão, pois desde a peregrinação da Santa e do novenário, já estamos contando com a presença dos voluntários, sem falar do apoio dos bombeiros, Manaustrans e até do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Polícia Militar”, disse o coordenador.

Vários grupos, movimentos e serviços da paróquia trabalharam arduamente para que o Círio acontecesse da melhor forma possível, mas vale a pena destacar o trabalho incansável da Guarda de Nossa Senhora, um grupo formado exclusivamente por homens, nos quais é concedida a honra de proteger a Imagem da Mãe de Deus, e não somente durante as procissões e celebrações, mas sim durante o ano todo com espiritualidade, estudos e formações. “Fizemos um trabalho mais técnico com os homens da Guarda de Nossa Senhora, que participaram de palestras e treinamentos prático de como agir em situação de ataque a berlinda ou alguém precisar de algum socorro médico eles têm que estar sempre prontos, mesmo a gente sabendo que contamos com o apoio dos bombeiros e da polícia, é bom prevenir para garantir a segurança de todos em primeiro lugar”, explicou Franciomar.

A chegada na igreja

A procissão durou pouco mais de uma hora e, pelas ruas que passava era recebida com muito carinho e devoção a Nossa Senhora de Nazaré, algumas casas que enfeitaram a sua frente com pequenos altares e, ao final da caminhada, a imagem foi recebida com salva de palmas e música pela banda da polícia militar. Após a imagem ser retirada da berlinda pelo senhor Luís Timóteo Florindo, um dos devotos mais antigos, com mais de 60 anos de Círio, foi conduzida para dentro da igreja pelo pároco, padre Daniel Curtis onde teve início a celebração presidida por Monsenhor Sabino, que iniciou a celebração saudando a todos e salientando a importância dos missionários do PIME, que atuam tantos anos à frente da paróquia.

Durante a homilia, Monsenhor Sabino deu ênfase a importância daquele momento de devoção a mãe de Jesus, que nasce da fé e não de uma emoção passageira. “É com imensa alegria que celebramos mais uma vez o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, que reúne um grande número de romeiros e religiosos, que vem aqui contemplar a mãe de Jesus e aumentar a nossa fé que nos faz reconhecer a nobreza da mãe de Nossa Senhora, pois nós precisamos de uma mãe, principalmente hoje em dia quando vivemos numa sociedade ferida, onde presenciamos o ódio entre irmãos e irmãos, inclusive entre católicos e católicos”, comentou.

Símbolos que marcam a festa do Círio de Nazaré em Manaus

1. A imagem de Nossa Senhora de Nazaré, ornada com muitas flores;

2. A corda que representa a união do sofrimento, da fé, da crença, da penitência, erguida pelos romeiros durante a procissão, em homenagem a Maria de Nazaré, desde 1866, considerado pelos fiéis como um elo entre os devotos e a Santa Virgem de Nazaré;

3. A Berlinda, simples objeto que conduz a imagem de Nossa Senhora, é a personificação de veneração dos promesseiros à Mãe de Jesus, a berlinda da Virgem de Nazaré é protegida por um grupo muito especial, chamado de “Guarda da Virgem da berlinda”;

4. O Manto, a cada procissão é sempre um novo manto envolvendo a imagem de Nossa Senhora;

5. Os Promesseiros, muitos participam da procissão descalços, outros vestem seus filhos de anjos, caminham segurando a corda, distribuem água, carregam pequeninas casas ou objetos de cera que representam as graças e curas alcançadas; e

6. Hinos e cânticos de Nossa Senhora.

  

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *