Abençoados pela padroeira da Amazônia, Nossa Senhora de Nazaré, 58 bispos da Amazônia Brasileira reuniram-se por quatro dias em Manaus, para tratar de questões latentes nesta região e que precisam de especial atenção no sínodo, além de partilhar experiências, criar metas em conjunto e aprofundar questões relacionadas ao Sínodo para a Amazônia que acontecerá em outubro de 2019.Este foi o terceiro encontro organizado pela Comissão Especial para Amazônia (CEA) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM).
Segundo a Irmã Maria Irene Lopes, assessora da CEA e secretária executiva da REPAM, o encontro foi um tempo de graça em que os bispos tiveram a oportunidade de se enriquecerem na caminhada Sinodal, e encontrar formas de que o sínodo possa chegar a todas as regiões, às comunidades localizadas até em áreas de difícil acesso.Ao final, os bispos redigiram uma carta para o papa Francisco, assinada pelo Cardeal, em nome de todos os bispos da Amazônia Legal, recolhendo os frutos do encontro.
“Ao longo desses dias, rezando, estudando, ouvindo especialistas com suas análises, o que ampliou nossa visão do conhecimento de toda complexa realidade amazônica, expusemos também nossas preocupações com todas essas situações e experiências dolorosas da vida de nossos povos, como o que está acontecendo com os migrantes venezuelanos em Roraima, no município de Pacaraima, e o que estamos realizando em nossas Igrejas particulares por meio de nossas ações evangelizadoras e pastorais”, afirmaram os bispos.Confira a carta na íntegra: Carta do III Encontro da Igreja na Amazônia Legal