Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Procissão, missa e arraial encerram os festejos de São Jorge

Uma verdadeira festa de fé e devoção marcou o encerramento dos festejos em honra ao Santo Guerreiro, com o tema “São Jorge, Guerreiro da Paz, ajuda-nos a superar a violência”. As homenagens ocorreram durante toda essa segunda-feira (23/4), na paróquia de São Jorge, localizada no bairro de mesmo nome e que, na ocasião, também estava comemorando 61 anos de existência. E, nem mesmo a chuva tirou o brilho da festa e nem atrapalhou a procissão, que percorreu as principais ruas do bairro até retornar à paróquia, onde o pároco, Frei Agostinho Odorizzi, presidiu a celebração diante de uma igreja lotada de fieis e devotos vindos dos quatro cantos cidade. Ao final da celebração, todos foram convidados a participar do tradicional arraial, com comidas típicas, além de brincadeiras, leilão de guloseimas e bingo.

A procissão começou por volta das 18h, com a imagem de São Jorge partindo da igreja matriz, sendo levada pelos homens do grupo Guardiões de São Jorge, que conduziram o andor por todo o trajeto e, como sempre, reuniu uma multidão de fiéis, orientada pela equipe Cirineu, que durante todo percurso coordenou o trânsito para que os participantes pudessem seguir tranquilo cantando, rezando, orando pela paz e pagando suas promessas, e, mesmo debaixo de uma leve chuva, seguiram firmes e fortes até retornarem à paróquia, onde uma outra quantidade de fiéis já aguardava o retorno da imagem, sendo recebida com uma calorosa salva de palmas, enquanto os fogos faziam o espetáculo no céu e a imagem entrava na igreja.

Concelebrando com Frei Agostinho, estavam o vigário paroquial Frei Faustino Fernandes e Frei Jair Roberto, pároco há sete anos da igreja N. Sra. de Lourdes, no município de Benedito Novo, em Santa Catarina, que veio exclusivamente para participar dos festejos e confessou estar impressionado com a quantidade de fiéis que viu participar da procissão e missa que, segundo dados oficiais, foi de aproximadamente 8mil pessoas. “É impressionante ver a participação e a procura das pessoas pela proteção e intercessão de São Jorge. Essa demonstração de fé nos alegra e nos incentiva para trabalhar sempre mais, para que continue essa tradição da festa do padroeiro, que deu mais gente que na minha cidade, onde só temos dois mil habitantes”, disse o Frei sorrindo.

Sem dúvidas foi um dia de atividades intensas que começaram pela manhã, com a primeira novena em honra a São Jorge realizada às 5h45 e às 6h, a primeira missa pelo dia do padroeiro. Enquanto isso, na área externa os fiéis puderam desfrutar do café da manhã que foi vendido até as 10h. Às 10h45 teve início a segunda novena em honra ao santo e, às 11h, foi celebrada a segunda missa do Dia de São Jorge. No horário do almoço, houve venda de churrasco no pátio e, durante todo o dia, a igreja esteve aberta para que os fiéis pudessem fazer seus pedidos, orações e agradecimentos pela intercessão do santo junto à Santíssima Trindade.

Segundo o Frei Agostinho, a celebração do santo teve dois momentos mais marcantes: o tema que nos alerta que ser servidor de Jesus é viver e transmitir a paz; e o segundo, é o desafio de viver o batismo, alimentando a nossa fé em Cristo e caminhar com a Palavra, pois em Deus somos todos irmãos. “Quem é devoto de São Jorge é chamado a ser construtor da paz, ser pessoa do bem e sinal da justiça, foi por isso que escolhemos esse tema iluminados pela Campanha da Fraternidade, por que São Jorge foi muito mais que a pessoa que matou o dragão, ele foi a pessoa que escolheu servir ao Senhor, que se fez pequeno, para ser grande aos olhos de Jesus. A comunidade tem essa missão, de viver seu batismo assim como São Jorge fez, um gesto pequeno e simples, mas que transforma e muda o coração”, disse o frei em sua homilia.

A presença dos fiéis fez toda a diferença, transformando a celebração num espetáculo muito bonito de se ver, com vários momentos marcados pela emoção e devoção ao padroeiro, que se manifestava em todas as gerações, das crianças aos idosos. Ao final de quase duas horas de celebração, com a igreja ainda lotada até pelas laterais, os freis abençoaram as garrafinhas de água benta que na sequência foram entregues aos fiéis, que aproveitaram o momento para pedir a benção pessoal e fazer uma breve oração junto à imagem do Santo Guerreiro, montado em seu cavalo. “Há cinco anos eu sou devota de São Jorge, desde quando eu recorri a ele para me ajudar num problema familiar que envolveu uma injustiça com meu filho. Hoje já está tudo resolvido, mas eu não me canso de agradecer a ele e a Deus pela graça alcançada”, comentou a dona Socorro Seixas, da paróquia Cristo Libertador no bairro da Compensa.

Para finalizar com chave de ouro, na área externa ao redor da igreja, acontecia o arraial do padroeiro, muito bem organizado e coordenado, contando com a participação de todos os movimentos, pastorais e agentes das 10 comunidades, além das centenas de fiéis que compareceram para prestigiar o evento religioso. “A devoção à São Jorge é antiga e passou da minha mãe para mim. É a primeira vez que participo da festa aqui em Manaus, porque geralmente nessa época eu estava em Santarém – PA e acompanhava o festejo de lá, mas agora eu irei frequentar aqui semanalmente, porque hoje eu me emocionei muito com todos os momentos vividos e é uma sensação que só sabe quem sente”, disse Paulo Giovani, morador do bairro de Jorge Teixeira.

Fotos da procissão – Pascom São Jorge

 

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

1 Comentário em "Procissão, missa e arraial encerram os festejos de São Jorge"

avatar
Isiane Chaves
Visitante

Muito lindo!