Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Bênção dos Santos Óleos e renovação das promessas sacerdotais marcam Missa do Crisma na Arquidiocese

Mais de 1,5 mil fiéis participaram da Missa dos Santos Óleos ou Crisma ocorrida na manhã do dia 29 de março, quinta feira-santa, presidida pelo Arcebispo de Manaus, Dom Sergio Castriani, e concelebrada pelos bispos auxiliares Dom José Albuquerque e Dom Tadeu Canavarros, e pelos bispos eméritos Dom Mário Pasqualotto e Dom Guterberg Régis (da Diocese de Coari), além dos mais de 150 padres e mais de 40 diáconos atuantes na Arquidiocese de Manaus.

Dom Sergio durante a homilia explicou o uso dos óleos abençoados nesta celebração (dos enfermos, dos catecúmenos e do Crisma) que serão entregues às Paróquias e Áreas Missionárias da Arquidiocese para uso durante o ano nas visitas aos enfermos, no batismo e no crisma, sacramentos importantes para a comunidade cristã.

“Hoje é também dia do sacerdote.  Nós somos configurados a Jesus por meio dos sacerdotes e esta missa se torna mais bonita porque estamos todos juntos e de fato o sacerdócio é exercido em comunidade. O sacramento da ordem é radicalmente comunitário, devendo haver uma comunhão com a Igreja, com o bispo e com os padres. Que nesse ano do Laicato saibamos valorizar o sacramento do Crisma, da unção que nos coloca juntos na mesma perspectiva da consagração à Deus, que iniciou com Maria, José e os apóstolos, pois todos eram consagrados para que o reino seja anunciado, para que a vida aconteça. Consagrados em Cristo temos o compromisso com a não violência e de forma alguma nos deixar levar pela vingança, pela maldade e pela violência. Esta missa é muito significativa daquilo que é a igreja, que somos todos nós, o corpo de Cristo, a assembleia reunida, que nos convoca a sermos um, a estar em unidade” destacou Dom Sergio que em seguida pediu a todos os padres que, de pé, renovassem as promessas sacerdotais.

Após a consagração foi abençoado o óleo dos enfermos usado no sacramento dos enfermos e significa a força do Espírito de Deus para a provação da doença, para o fortalecimento da pessoa para enfrentar a dor e, inclusive a morte, se for vontade de Deus.  Depois, ao final do rito da comunhão foi a vez do óleo dos catecúmenos, aqueles que se preparam para receber o Batismo, sejam adultos ou crianças, significando a libertação do mal, a força de Deus que penetra no catecúmeno, o liberta e prepara para o nascimento pela água e pelo Espírito.

E por fim, abençoado o óleo do Crisma, sendo misturado ao óleo, o bálsamo perfumado, significando plenitude do Espírito Santo, revelando que o cristão deve irradiar “o bom perfume de Cristo”. Este é usado no sacramento da Confirmação (Crisma) quando o cristão é confirmado na graça e no dom do Espírito Santo, para viver como adulto na fé. É usado também no sacramento do sacerdócio, para ungir os “escolhidos” que irão trabalhar no anúncio da Palavra de Deus, conduzindo o povo e santificando-o no ministério dos sacramentos.

 

 

 

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *