Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Dom Sergio preside abertura do Triênio Jubilar da Comunidade Católica Hallel

O Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani, presidiu na noite desta quarta-feira (07/03), a abertura oficial do Triênio do Jubileu de Prata da Comunidade Católica Hallel que, no dia 23 de setembro de 2020, completará 25 anos de fundação. A celebração foi realizada as 18h na Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição (Igreja da Matriz) e contou com a presença de amigos, benfeitores e participantes da comunidade que, além de trabalhar o lado espiritual e religioso dentro da igreja, também realiza vários trabalhos sociais.

“São três anos de preparação, para vivermos em 2020, o nosso grande Jubileu de Prata, onde teremos a oportunidade de celebrar a glória do Senhor em nossas vidas, na vida da igreja de Manaus e do mundo inteiro. Nesse primeiro ano, nós já estamos em trabalho na busca da intimidade com Senhor, mergulhando em seu amor misericordioso; em 2019, vamos trabalhar o carisma Hallel e os seus desafios, e no terceiro ano, vamos viver a missão Hallel Ad Gentes”, explicou Clenir Viana, fundadora da comunidade.

A missa foi muito participativa e com cantos bem selecionados que tornou a celebração ainda mais emocionante. Logo no início, começou com a procissão de entrada trazendo alguns símbolos importantes da comunidade, como: a imagem de Nossa Senhora das Graças; depois a Cruz Vocacional, seguida do primeiro ostensório e, por último, a tocha, representando o fogo do Espírito Santo. Após a homilia proclamada pelo Arcebispo, que ressaltou que uma Comunidade de Vida só tem sentido, quando manifesta seu carisma e que o grande desafio é nunca perder esse carisma e o primeiro amor, todos rezaram juntos e em voz alta, a oração do Triênio Jubilar.

Após a comunhão, foi lida uma mensagem para todas as mulheres em virtude da passagem do dia internacional da mulher e, em seguida, a fundadora da comunidade fez um agradecimento todo especial aos participantes e à Dom Sergio. “A comunidade é dividida em vocações, temos a comunidade de vida, com aqueles membros que moram e fazem todas as atividades espirituais e missionárias; a comunidade aliança, composta pelos leigos que caminham para a consagração e temos a comunidade de serviço, que são aqueles que trabalham dando suporte com música, teatro, dança e tantos outros ministérios que o Senhor nos confia”, disse Clenir.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *