Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Dom José preside missa de ação de graças pelos 20 anos de sacerdócio de Pe. Adelson

“É uma grande graça poder voltar, aqui na igreja da Matriz , no mesmo local onde há 20 anos Dom Luiz fazia minha ordenação neste mesmo dia (27/12) e rever alguns amigos e parentes que estavam lá naquela data, assim como os que eu fiz ao logo da minha vida como padre. Claro que aqui não estão todas as pessoas porque durante esses 20 anos eu não morei só em Manaus, mas para mim essa celebração foi um grande presente de Natal pois hoje eu pude rever muita gente que foi importante na minha caminhada”, disse o padre jesuíta Adelson Araújo dos Santos, durante a missa de ação de graças pelos 20 anos de sacerdócio, presidida na noite desta quarta-feira por Dom José Albuquerque, bispo auxiliar de Manaus e concelebrada pelos padres Paulo Tadeu (jesuíta) e Luiz Kirchner (redentorista).

Padre Adelson é natural de Manaus, filho do meio de três irmãos (um médico e outro jornalista) e, de acordo com sua mãe, dona Terezinha, sua vocação veio aos 12 após o batismo no Espírito Santo, mas só foi para o Seminário depois dos 20 anos, após se formar em direito. Seu noviciado foi feito na Bahia durante quatro anos e o juniorado em João Pessoa, na Paraíba. Antes de viajar para fazer seus estudos no exterior, atuava como Superior dos Jesuítas da Região Norte. Atualmente estava morando em Belo Horizonte, trabalhando como formador dos Jesuítas no Brasil, mas agora, se prepara para em janeiro assumir um novo desafio, como único brasileiro membro do corpo de professores da Pontifícia Universidade de Roma, onde atuará como professor de Teologia Espiritual da instituição.

Com todo esse carisma e simpatia, não é a toa que é um dos padres mais queridos e, sempre que vem à Manaus faz questão de dar toda atenção aos seus familiares e amigos. A ultima vez que se fez presente na capital amazonense, foi no inicio de novembro, quando veio participar como formador da Jornada de Espiritualidade promovida pelo Serviço Inaciano de Espiritualidade (Sies) e aproveitou a oportunidade para fazer o lançamento do seu livro “O Exame de Si Mesmo”, uma obra que foi resultado de seis anos de dedicação e de estudos em Roma para a conclusão do Mestrado e Doutorado do padre.

Na igreja, antes mesmo de começar a missa, Pe. Adelson não escondia a alegria estampada no sorriso escancarado no rosto e na satisfação de poder rever tantos conhecidos, amigos e parentes, que até durante a celebração estiveram com ele, como a mãe atuando como ministra e o irmão fazendo as leituras. Após a leitura do evangelho do dia, a homilia ficou sob sua responsabilidade, que iniciou o discurso agradecendo a todos os presentes e falando o quão foram importantes para o seu discernimento vocacional e a sua caminhada sacerdotal, como por exemplo o padre Luiz Kichner, o primeiro padre com quem conversou sobre vocação e que fez todo o seu acompanhamento inicial.

“Todos nós temos um chamado em nossa vida, é um mistério que não está previsto e não há critérios muito racionais para a gente entender porque é você, por que sou eu e as vezes vem a dúvida por muitas vezes a gente não se sente digno de ser o escolhido para seguir o sacerdócio, e se pergunta porque no meio de tantos jovens Deus escolhe alguns para ter essa vocação para tornar mais presente o reino dele no meio de nós. Então só tenho a agradecer a presença de vocês que muitos estão há mais de 20 anos na minha vida, para mostrar que o sacerdote aqui não está sozinho. Vocês todos fazem parte da minha família, família que vai se ampliando por onde vamos passando. Muito obrigado e que Deus abençoe a todos”, comentou.

Antes de encerrar a celebração, Dom José proferiu algumas palavras de agradecimento ao padre e nobre amigo. “Durante esses 20 anos de ministério, toda a missão que você assumiu foi muito importante e agora se prepara para assumir uma maior ainda. Para mim é uma enorme alegria poder celebrar essa eucaristia com você e fiz questão de aceitar ao convite porque assim como você, também fui ordenado por Dom Luiz. Quero também dizer à dona Terezinha e aos familiares um muito obrigado por esse oferecimento que fizeram doando o filho de vocês e que Deus ajude a todas as famílias a serem os primeiros incentivadores e que outros jovens sigam esse exemplo de servir a Deus. Parabéns, que Deus abençoe e que possa celebrar ainda muitos e muitos anos desse ministério fecundo e muito feliz”, disse Dom José



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *