Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Dom Sergio preside Abertura do Ano do Laicato durante Festa de Cristo Rei

A Arquidiocese de Manaus celebrou na manhã deste domingo, dia 26 de novembro, a Festa de Cristo Rei, solenidade que oficializou a abertura “Ano Nacional do Laicato”, que se estende até o dia 25 de novembro de 2018. O tema escolhido para animar a mística do Ano do Laicato foi: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino” e o lema: “Sal da Terra e Luz do Mundo”, Mt 5,13-14. A celebração aconteceu às 7h30 na Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição (Igreja da Matriz), com uma santa missa presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani, concelebrada pelo padre Luiz Fernando, secretário executivo da CNBB para a CF-2018, auxiliados pelo diácono Francisco Andrade e Ruzeval Cardoso.

Ao todo foram mais de 80 grupos, pastorais e movimentos de leigos e leigas, que se fizeram presente lotando a Catedral e realizando uma bonita celebração com o objetivo de, como povo de Deus, aprofundar a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão, além de testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade. Segundo Patrícia Cabral, Presidente do Conselho dos leigos e leigas da Arquidiocese de Manaus, uma equipe de aproximadamente 20 pessoas, trabalhou direto desde junho, articulando a programação da missa de abertura e também coordenando as atividades e intensificando as ações que irão acontecer nesses próximos 12 meses.

“Queremos no decorrer do ano do laicato, levar ao conhecimento da sociedade, a importância que o cristão leigo tem dentro dos trabalhos ministeriais e pastorais da igreja, pois é preciso que todos tenhamos noção da missão que realizamos e a participação que temos nos serviços em nossas comunidades”, disse Patrícia. Durante a celebração, os setores: Alvorada, Padre Rogério e Mãe da Igreja, ficaram responsáveis respectivamente pela 1º leitura, Salmos e 2º leitura. As preces foram realizadas por leitores do setor Parque Dez e Padre Pedro Vignola. Os setores São José, Rios e Cachoeiras, Dom Luiz, e Encontro das Águas, fizeram apresentação das oferendas.

“É uma alegria muito grande viver essa vocação laical, onde somos todos irmãos e irmãs, somos iguais. O leigo possui uma vocação cristã, vocação batismal, vocação crismal, que estão no dia a dia evangelizando e participando da vida concreta, na acolhida do irmão mais próximo e necessitado, vivendo a fé católica”, disse Dom Sergio. Antes da benção o arcebispo, chamou a frente do altar os integrantes do Conselho de Leigos da Arquidiocese e cada um se apresentou para a assembleia. Depois, Patrícia Cabral leu a carta de Marilza Shuina, presidenta do Conselho Nacional do Laicato no Brasil (CNLB) e após esse momento, todos fizeram a oração para o Ano do Laicato.

Palavras do bispo referencial

Para Dom José Ionilton Lisboa, bispo da prelazia de Itacoatiara e bispo referencial do laicato, a solenidade é uma oportunidade para também conhecer e se aprofundar um pouco mais nos documentos que trata da vocação dos leigos na igreja e na sociedade. “Hoje iniciamos em todo Brasil o ano do Laicato e, um dos objetivos é celebrar a memória do Documento de Medelin (de 1968), do Sínodo Ordinário sobre os Leigos (de 1987) e da Exortação Apostólica Christifideles Laici, de São João Paulo II, sobre a vocação e missão dos leigos na Igreja e no mundo (1988), são documentos que contribuíram, assim como o atual Documento 105, para que os leigos possam assumir com maior consciência o seu papel de sal da terra e luz do mundo, fortalecendo assim a ação evangelizadora da igreja”, comentou o bispo referencial.

Objetivos Específicos do Ano do Laicato

ü  Dinamizar o estudo e a prática do documento 105: “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade” e demais documentos do Magistério, em especial do Papa Francisco, sobre o Laicato;

ü  Estimular a presença e a atuação dos cristãos leigos e leigas, “verdadeiros sujeitos eclesiais” (Dap, n. 497a), como “sal, luz e fermento” na Igreja e na Sociedade.

ü  Conclamar toda a Igreja no Brasil: regionais, dioceses, paróquias, comunidades, pastorais, movimentos, as diferentes expressões laicais e os Organismos de comunhão do Povo de Deus, na realização do Ano do Laicato;

ü  Desenvolver atividades que culminem na realização de um encontro nacional com o Laicato no encerramento do ano (Cristo Rei de 2018);

ü  Despertar e motivar iniciativas e participação dos ministros ordenados, da vida consagrada e do laicato na realização desse Ano;

ü  Dialogar com os diferentes sujeitos da sociedade, promovendo a cultura do encontro e o cuidado com a vida e o bem comum, na esperança de que outro mundo é possível;

ü  Envolver os meios de comunicação social nas atividades programadas para o Ano do Laicato.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz