Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Seminário reúne moradores de rua para animá-los a organizarem-se para fazer valer seus direitos

Celebrar a Jornada Mundial do Pobre, contribuindo no processo de “empoderamento” dos cidadãos empobrecidos, refletindo e debatendo sobre direitos e políticas públicas a partir da realidade da cidade que revela as diversas expressões da pobreza. Este foi o objetivo do seminário realizado na manhã do dia 18 de novembro, no Auditório da Paróquia São Sebastião, Mártir, e São Francisco de Assis, situado no Centro de Manaus. Além de representantes do Setor Centro Histórico da Arquidiocese de Manaus, que impulsionou este evento, estiveram presentes instituições que trabalham com a população de rua e órgãos públicos como a Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas),  a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Defensoria Pública do Estado e Ministério Público Federal.  Na ocasião, alguns moradores de rua reivindicaram seus direitos básicos como moradia/abrigo, assistência à saúde, oportunidade de emprego, dentre outros.

Padre Hudson Ribeiro, assistente eclesiástico da Pastoral da Pessoa de Rua, afirmou que é necessário aproveitar este tempo do início do ano do laicato e do Advento, que são tempos novos e exigem posturas diferentes de todos, atitudes novas nas perspectivas antigas como o amor ao próximo e o protagonismo do laicato em favor da vida, tendo os pobres a opção preferencial do reino de Deus.

“Os pobres têm que ser a opção preferencial da Igreja, e nesse tempo em que somos convocados a unir forças com a sociedade civil organizada, com os movimentos sociais, com as instâncias do governo (municipal, estadual e federal), pois não dá para mais para trabalhar sozinho, para ficar no assistencialismo sem promover uma transformação e não traga de volta a dignidade. É preciso que haja uma unidade de forças, que se escute as pessoas nesta condição, os em situação de rua e aí planejar ações futuras, tendo presente o que é urgente, como a questão do abrigamento, e o que mais é prioridade”, afirmou pe. Hudson.

O padre falou ainda sobre os desdobramentos deste seminário. “Hoje está saindo daqui um grupo de trabalho que vai dar continuidade ao que se tratou neste seminário, primeiro uma carta reivindicatória e depois a um plano que deve ser respondido a curto e médio prazo, de acordo com as políticas públicas existentes hoje no país, correspondentes às pessoas em situação de rua e que de fato não chega nessas pessoas”, concluiu o assistente eclesiástico da Pastoral da Pessoa de Rua.

 

 

Confira as fotos!



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz