Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Procissão e Missa encerram os festejos de Santa Teresinha, a santa das rosas

Momentos de muita emoção marcaram a noite deste domingo (1/10), a celebração de encerramento dos festejos da Paróquia Santa Teresinha com a Santa Missa, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sérgio Castriani, e concelebrada pelo pároco pe. José Rodrigues (mais conhecido como pe Zezé). Antes da celebração, os devotos ainda acompanharam em procissão as homenagens à santa padroeira da paróquia, que foi realizada pelas ruas do bairro do alvorada 2, partindo da Comunidade Sagrado Coração de Jesus, situada na Rua Doutor Gentil Bittencourt (Antiga Rua 13) n° 252, rumo à igreja matriz. 

Santa Teresinha sem dúvida é uma das santas mais queridas, algo que se notou durante toda a celebração, onde os fiéis vindos da procissão, ocuparam todos os bancos da igreja e participaram em todos os momentos. “A festa de Santa Teresinha já é tradicional nesta paróquia, é realizada por uma união de todas as forças vivas que fazem partes daqui, que preparam essa bela celebração, assim também como a procissão e o coral. Temos a capacidade de 700 pessoas sentadas, mas hoje acredito que batemos o recorde, pois temos de 800 a 900 participantes, fora os que estão no arraial”, comentou Carlos André, leigo coordenador de pastoral do setor alvorada.

Mas a festa de Santa Teresinha não reúne apenas devotos do setor alvorada não, a virgem e doutora da Igreja, consegue atrair fiéis de todos os cantos da cidade, como no caso a jovem Ana Maria Pedrosa, da Área Missionária Santa Mônica, situada no conjunto Manoa, que veio junto com sua família prestigiar a santa das rosas. “Santa Teresinha encantava todos a sua volta, é impossível não falar bem de uma santa que até mesmo nos momentos de sofrimento e mais turbulentos soube amar a Jesus Cristo, me sinto até emocionada porque considero Santa Teresinha minha mãe espiritual. Para mim foi uma honra estar presente neste evento, muito bem organizado e participativo, onde desde a procissão até o momento do arraial a comunidade foi muito acolhedora, e com a celebração de Dom Sergio selou a comunhão com todos”, disse.

Durante a celebração, Dom Sergio também realizou o rito de envio e reenvio dos ministros da Palavra e da Eucaristia, segundo o coordenador dos ministros, Renan Ugarte, foram sete enviados, um da palavra e seis da eucaristia e 31 reenviados, nove da Palavra e 22 da Eucaristia. “Ser Ministro é um serviço, estejam sempre prontos e preparados para expor o santíssimo para a adoração e distribuir a eucaristia e sobretudo, ao levar o Corpo do Senhor, aos que não podem vir à igreja, como os idosos e doentes, esse é o trabalho de vocês, sejam sempre solícitos e dignos desse serviço”, comentou Dom Sergio. Antes do encerramento, houve a primeira apresentação do coral Santa Teresinha, que fez a sua estreia na missa dos festejos da padroeira. “Somos 20 integrantes, formado por crianças, jovens e adultos, que ficamos em torno de três meses ensaiando para ‘estrear’ nesse dia tão especial. Nossa próxima apresentação agora será na missa de Natal”, comentou Graça Fárias, coordenadora do coral.

A homilia do Arcebispo

“Eu estava em Roma quando o Papa João Paulo II declarou Santa Teresinha, essa menina tão jovem, doutora da igreja, ou seja, está entre as pessoas que escreveram as doutrinas da igreja. O poeta Max Carphentier, dizia que ela é a maior santidade do século XX, modelo de intercessora que possui o sorriso de uma santa e que o mundo precisa, uma jovem que desde da infância escolheu o caminho de Deus e viveu o seu dia a dia na simplicidade, mas que mesmo com a dor e com os sofrimentos, nunca perdeu a alegria do evangelho e foi uma gigante na Terra”, disse Dom Sergio durante a sua homilia.

Histórico da paróquia

A Paróquia Santa Teresinha teve sua origem na década de 70 com a chegada dos primeiros religiosos da Congregação Salesiana, dentre os quais: Pe. William Redmond, Irmã Giana e Consolação do Patronato Santa Teresinha. A primeira missa foi celebrada no domingo de páscoa no ano de 1971 numa pequena e improvisada capela. Era o primeiro passo para o florescimento de uma igreja de comunhão e participação.

Em 08 de Dezembro de 1972, Dom João de Souza Lima, inaugura a nova igreja, construída em alvenaria com recursos da Alemanha e com a mão de obra da comunidade. Hoje a Paróquia, que faz parte do Setor Alvorada (antigo setor IV), é composta de seis diaconias: São Pedro; Santa Teresinha; Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora Auxiliadora.

Mais informações em breve

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz