Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Programação do evento Grito dos Excluídos 2017 é apresentado à imprensa de Manaus

Na manhã desta quinta-feira (31/8), aconteceu a coletiva de imprensa sobre da 23a. edição do Grito dos Excluídos que acontecerá no dia 7 de setembro, sob a organização da Cáritas Arquidiocesana, e deve dar voz à centenas de pessoas que necessitam clamar por vida digna. O evento tem por objetivo ser um espaço de manifestação e pressão popular que mobiliza as Pastorais, Movimentos da sociedade civil, sindicatos entre outros para denunciar os direitos violados e reivindicar políticas públicas”.

Os presentes no evento irão manifestar-se de forma lúdica, visualizando os problemas da cidade por isso vamos procurar expor, por meio das apresentações teatrais e musicais, e depois todos sairão em caminhada, trazendo durante o trajeto os gritos da população até a bola do produtor aonde ocorrerá o encerramento. Entre os “gritos” que o evento pretende ressaltar estão: saúde, violência (sobretudo contra crianças e mulheres), segurança, saneamento básico, desemprego, moradia, transporte coletivo, indígenas e outros. A Pastoral do Menor e da juventude vão fazer   um momento importante, assim como os indígenas terão um espaço para fazer seus gritos e suas lutas.

O Arcebispo de Manaus e presidente da Cáritas, Dom Sergio Castriani, afirmou que é um dever da Igreja, pelo alcance que tem, dar espaço aos que não tem voz e nem vez. “Seria bom que não houvesse necessidade de ter o Grito dos Excluídos, mas existe a população excluída que não participa de tomadas de decisões. É um dever nosso, da Igreja, dar um espaço para aqueles que não tem, ao povo, ao grupo de excluídos, para que falem. Colocar nossa estrutura ao povo, dando esse espaço pra que falem. Eventos como esse tem efeito a longo prazo, pois envolve democracia, participação política e o conhecimento dos seus direitos por parte do povo. É como a Campanha da Fraternidade que semeia sementes para colher mais tarde. A conscientização é um caminho. É um passo a mais no processo da democracia”, afirmou Dom Sergio.

Patrícia Cabral, presidente do Conselho de Leigos da Arquidiocese de Manaus, afirmou que o tema desse ano é “Vida em Primeiro Lugar”  e através das Pastorais Sociais, vamos dar enfoque dos direitos que estamos perdendo e daquilo que precisamos no campo das políticas públicas para a melhoria da sociedade.  A gente traz a problemática da violência, do desemprego, da falta de saúde, da falta de escolas para crianças e jovens. É uma luta pela justiça, uma justiça para todos, igualitária, para que todos nós, da sociedade, tenhamos acesso ao que temos direito.

 

Data: 7 de setembro
Local de início: Av: Itaúba, Zona Leste – Concentração às 15h, em frente à Escola Municipal Irmã Helena.

Animadores: Patrícia Cabral/Antônio Fonseca – Grupo canto: Ceb’s.

Horário:  Início às 16h

Caminhada até a Bola do Produtor quando haverá a leitura da Mensagem do Papa Francisco que retrata o direito ao trabalho e à terra.

 

 

Sobre o Grito dos Excluídos

De acordo a CNBB, o Grito dos Excluídos é um conjunto de manifestações populares que vem ocorrendo no Brasil, desde 1995, ao longo da Semana da Pátria, no Dia da Independência do Brasil, em 7 de setembro. Estas manifestações tem o objetivo permanente de dar visibilidade aos excluídos da sociedade, denunciar os mecanismos sociais de exclusão e propor caminhos alternativos para uma sociedade mais inclusiva.

Sua origem remonta à Segunda Semana Social Brasileira, promovida pela Pastoral Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizada entre 1993 e 1994. O mesmo é carregado de simbolismo, é um espaço de animação e democrático, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. É uma oportunidade para discutir os problemas e apontarmos soluções, sobretudo para aqueles que mais necessitam, que lutam por garantia de direitos, ao acesso à saúde pública, educação de qualidade, ao direito a moradia digna, ou seja, aos direitos básicos, e exigir que o Estado assuma suas responsabilidades na garantia de direitos básicos. O evento tem o compromisso de denunciar este sistema de morte e anunciar a vida para todos!

 

 

Agradecemos aos veículos que compareceram.

Confira o nosso registro fotográfico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz