Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

2º Encontro da Família Diaconal do Regional Norte 1 reúne mais de 60 diáconos na Maromba

No período 4 a 6 de agosto, aconteceu no Centro de Formação e Treinamento Maromba, o 2º Encontro da Família Diaconal Regional Norte 1 (AM/RR), com o tema “Vocação Diaconal na Família, Igreja e Sociedade à Luz de Aparecida”. O evento, que tem como lema “Cuidai cada vez mais de confirmar a vossa vocação e eleição” (2Pd 1,10), é uma realização da Comissão Regional dos Diáconos (CRD) e conta com 64 participantes inscritos, com a presença confirmada de diáconos vindos de municípios como: Iranduba, Tefé, Parintins, Presidente Figueiredo e Itacoatiara.

O encontro tem como público alvo os diáconos permanentes e suas respectivas esposas e, no último dia (domingo), foi agregado ao encontro, mais 22 candidatos à ordenação diaconal. A programação dos três dias incluiu momentos de acolhida e confraternização, geralmente realizada nos intervalos ou nas refeições, assim também como momentos de partilha, oração, formação (com Dom Tadeu Canavarro e Dom José Albuquerque) e celebração, como a realizada na manhã de sábado (05/08) presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani.

Segundo Afonso Brito, presidente do CRD, a coordenação do encontro vem se organizando há oito meses, se comunicando desde o ano passado com as prelazias e dioceses, fazendo contato para que pudesse acontecer o evento. “Nosso principal objetivo com esse encontro é promover o fortalecimento do Regional, conhecer um pouco sobre as outras realidades, os avanços e os desafios e, a partir da reflexão da temática, poder avançar cada vez mais a dimensão do serviço de vocação do diácono de maneira individual e em comunhão como o povo do Regional Norte 1”, explicou Afonso.

Desde a recepção e acolhida dos diáconos na Maromba, por volta das 18h de sexta-feira (04/08), o clima não poderia ser melhor, muita alegria, confraternização e troca de experiências entre eles era visível. As formações passadas pelos bispos auxiliares, pelo arcebispo e demais formadores, sempre embasadas em documentos da igreja e vivências próprias, foram o complemento que cada um esperava encontrar, para renovar a fé, se atualizar e “dar um gás” no serviço, sobretudo daqueles que atuam em regiões mais distantes e com realidades peculiares.

“Tenho seis anos de ordenação e estou a serviço do reino de Deus na paróquia de São João Batista, em Iranduba, que é dividida em três núcleos: cidade, estrada e ilhas (ribeirinhos). Sou responsável pelo núcleo das estradas e o diácono Francisco pelo grupo das ilhas que são várias. É fundamental a gente estar sempre se reciclando e por isso sempre que podemos, nós participamos dos encontros e formações que existe todo primeiro domingo do mês no sítio da paróquia e, um encontrão como esse de hoje é muito importante, pois é uma maneira que temos de se atualizar e caminhar junto com a igreja”, disse o diácono Antônio Marques.

No sábado à tarde, Dom Tadeu trouxe uma reflexão para os diáconos sobre a vocação diaconal à luz do Documento de Aparecida, destacando o diácono como discípulo e missionário de Cristo, tendo como protagonista da evangelização o Espírito Santo. “O ministério diaconal deve ser vivido nos aspectos social, pastoral e eclesial, devendo, o diácono, estar sempre preparado para a complexidade do mundo urbano e rural”, disse Dom Tadeu, que também salientou que a formação do diácono não termina com a ordenação, mas que deve ser uma formação contínua, para melhor servir.

A participação das esposas

Apesar de ser um encontro voltado para os diáconos, é essencial e necessária a presença da esposa junto a ele, pois formam o casal que vivem a beleza de terem não só o sacramento do matrimônio, mas também o da ordem, algo muito significativo e que torna a presença de um diácono muito importante para a paróquia, para o padre, para a comunidade e para a igreja de modo geral. Mas vale lembrar que para o diácono receber sua ordenação, a esposa é a primeira a dizer o sim, pois o casal terá que caminhar juntos no serviço.

Por isso, a tarde de sábado teve um momento destinado somente para elas, onde receberam formação diretamente com o arcebispo, conforme explica o diácono Luís di Paula, secretário da CRD. “A vocação do diaconato permanente é peculiar, onde a esposa já começa a caminhar junto mesmo antes de ordenação e tem um papel fundamental dentro da caminhada do diácono, participando de todo o processo, desde o propedêutico na escola de formação. Aqui nós não queremos perder essa participação delas, que dão suporte muito importante para a existência e continuidade do serviço dos diáconos dentro da igreja e sobretudo do Regional”, disse.

Durante o encontro com as esposas, Dom Sérgio relembrou que o diácono vive a dupla sacramentalidade, porém, o matrimônio sobressai ao sacramento da ordem. “A esposa não é um “anexo” do diácono e sim sua companheira, mãe dos seus filhos e apoiadora da sua vocação e que a esposa participa também da vocação do diácono, tendo como missão manter o equilíbrio entre a necessidade do lar e a necessidade da missão diaconal”, comentou o arcebispo. “Como um bom pai que é, Dom Sérgio abriu um espaço para ouvir as esposas e, escutou a todas nós com muito carinho. Foi um momento de muita descontração e alegria”, disse Leonarda Trovão, esposa do diácono Rozinaldo, tesoureiro da CRD.

Encerramento

Na manhã deste domingo (06/08), o diácono Francisco Andrade, Vice-presidente da CRD, apresentou o caminho do diaconato percorrido no Regional Norte 1. Mostrou os avanços e a presença dos diáconos nas prelazias e dioceses do Regional e apontou os desafios da CRD em uma região tão vasta e de grande complexidade.

Após a formação matutina que contou com a presença da pastoral familiar, o encontro encerrou com a Santa Missa, presidida por Dom José e com a participação dos candidatos ao diaconato e suas esposas. Dom José ressaltou que assim como Jesus vestiu um avental e foi lavar os pés dos discípulos, da mesma forma, o diácono, ao vestir suas vestes deve lembrar que ele foi ordenado para servir.

Depois da celebração, todos foram convidados a participar do almoço, onde mais uma vez foi realizado o sorteio de alguns brindes, dessa vez o prêmio principal foi um celular cujo o ganhador foi o diácono João Batista, da diocese de Parintins. Finalizando com chave de ouro, ainda houve homenagem aos pais, com as esposas mostrando seus talentos declamando poemas e uma música cantada pelo diácono João Bosco. 

Colaboração: Elcimildes (Elci) Saraiva e Gilberto Saraiva – Relações Públicas da Comissão Arquidiocesana dos Diáconos (CAD) 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus