Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Peregrinos na casa da mãe

Uma delegação da Arquidiocese de Manaus, formada por uma centena de pessoas está hoje em Aparecida, no Santuário Nacional. Participam da peregrinação oficial de nossa Igreja por ocasião do Ano Mariano. Em nome dos fiéis de Iranduba, Novo Airão, Manaquiri, Careiro, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva, Presidente Figueiredo e Manaus fazem esta romaria ao local onde há trezentos anos é venerada a imagem da Imaculada Conceição encontrada de forma extraordinária nas águas do rio Parnaíba. Juntaram-se aos milhões que anualmente visitam a casa da padroeira do Brasil.

A Igreja desde a sua origem foi confiada aos cuidados de Maria, a mãe de Jesus. O Espírito que foi derramado sobre os apóstolos reunidos com Maria em Pentecostes foi o mesmo que havia formado Jesus em seu ventre, e que a havia inspirado a cantar o Magnificat. A Igreja católica é petrina, mas também mariana. Além da Imaculada Conceição, temos inúmeras comunidades, paróquias e áreas missionárias dedicadas a Virgem Santíssima sob os mais variados títulos. A devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro está presente em toda parte e as novenas de terça-feira arrastam multidões. A oração do terço foi, por décadas, a única forma de culto católico em comunidades privadas da Eucaristia, devido a absoluta falta de ministros ordenados.

A nossa iniciação a fé e a vida cristã passa pelas dezenas de Ave Marias rezadas em todas as situações, de velórios a casamentos, nos temporais enfrentados nas longas viagens fluviais, nas vésperas de exames escolares, enfim em todas as situações em que necessitamos da intervenção divina. Como a nossa fé nos dá a certeza de que Maria Santíssima nos acompanha sempre, queremos agradecer a sua proteção materna, mesmo quando não tivemos consciência da sua presença. Queremos agradecer antes de tudo o fato da igreja ter sido mãe ao longo dos séculos com sua ação social nas situações de emergência, nas grandes secas e alagações que regularmente assolam a nossa região. Reconhecemos o trabalho do cuidado de doentes, de crianças em situação de risco ou de abandono, idosos e deficientes. Nem sempre foi possível atender a todos, mas a generosidade sempre foi grande. Irmãos e irmãs nossas também visitam os prisioneiros e acolhem o estrangeiro.

A face materna da Igreja também está presente na vida de tantas religiosas que na vida consagrada testemunham o amor do Senhor sobretudo pelos mais pobres e excluídos. Queremos também pedir a proteção da Virgem nestes tempos difíceis em que a violência atinge a todos e falta de segurança nos deixa assustados. Pedimos saúde e paz para nossos familiares e trabalho para nossos jovens. Intercedemos por moradia digna para todos, e escola de qualidade para nossas crianças e jovens. Fizemos uma prece especial pelos nossos sacerdotes para que sejam santos. E expressamos o nosso desejo e compromisso de sermos uma Igreja comunidade de comunidades, samaritana e missionária. Estar na casa da mãe sempre é bom, todos precisamos de colo de vez em quando e Deus que sabe de que barro somos feitos providenciou este colo para nós. Como no ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro com Jesus vamos a Maria.

 

ARTIGO DE D. SERGIO EDUARDO CASTRIANI – Arcebispo Metropolitano de Manaus
JORNAL:  AMAZONAS EM TEMPO
Data de Publicação: 16.07.2017



Por: Arthur Amorim

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz