Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Centenas de fiéis devotos, participaram da procissão e missa em honra a Santo Antônio

Fé e muita emoção marcaram os treze dias de festa na paróquia de Santo Antônio, que fica localizada no bairro de Santo Antônio, zona oeste de Manaus. No dia 13 de junho, última terça feira, dia dedicado ao santo, a igreja ficou pequena para o tamanho da festa.

Com o tema: “Santo Antônio servo de Deus, filho de Maria” e o lema: “Caminhando com Maria para seguir Jesus”. A programação diferenciada no dia do padroeiro, foi celebrado com muita alegria pelos paroquianos. Com um motivo a mais para glorificar o dia do santo conhecido por muitos como casamenteiro, esse ano durante o trezenário foi aberto oficialmente as atividades que celebrará em 2018 o jubileu de ouro da paróquia, comemorando assim 50 anos de presença junto aos fiéis devotos do bairro.

Na 49º (quadragésima nona) festa do padroeiro, a celebração foi presidida por Dom Tadeu Canavarros, bispos auxiliar de Manaus, e concelebrada pelo padre Leudimar dos Santos (Leudo), pároco da paróquia Nossa Senhora Mãe da Misericórdia, na Compensa, também zona oeste.

 

Homilia

Com a liturgia do dia, convidado a ser sal e luz do mundo, Dom Tadeu destaca três aspectos da vida de Santo Antônio: mestre de oração; modelo de amor e mestre da missão. Convida a todos a exemplo do santo possam ser sinais do amor de Deus para as pessoas, que cada um possa trabalhar para que as gerações sejam marcadas pelo amor e não pela destruição. Salienta que no batismo, cada um recebeu uma missão, “a missão de ser filhos e filhas de Deus, essa missão significa exatamente, olhar para todo homem, para toda mulher, com olhar de irmãos, construindo fraternidade”.

Finaliza a homilia retomando a mensagem do evangelho, “a luz quando ela é muito forte, ofusca os olhos das pessoas”, e acrescenta, “por maior que seja a escuridão, um pequeno fosforo aceso lhe ajuda a caminhar com segurança”.

Tradicionalmente todos os anos centenas de pães são doados, por fiéis devotos, pagadores de promessas afim de serem abençoados e distribuídos após a celebração. Este ano não foi diferente, os fiéis que lotaram dentro e fora da igreja, após a celebração correram para pegar um pão, que há um sentimento, um simbolismo.

  



Por: Arthur Amorim

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz