Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Vem Espirito Santo

Vem com Maria cuidar da Amazônia. A Igreja sempre invoca o Espírito Santo pois sabe que sem Ele reina o caos, a desagregação e a morte. Com Ele tudo se renova, a vida desabrocha e a luz brilha vencendo as trevas e a escuridão. Seus símbolos são fortes e suaves, o fogo abrasador, as torrentes de água viva, o vento impetuoso, a brisa suave, as águas mansas, a pomba. Sua ação abrange tudo, curando, possibilitando a comunicação com o Pai no louvor e na multiplicidade das línguas, aquecendo a frieza dos corações, curando as feridas da alma, consolando os aflitos. Sua ação é tão abrangente que nos esquecemos que ele é uma pessoa, que se comunica, que escuta, que fala, como falou pelos profetas. E ainda fala por eles quando misteriosamente inspira homens e mulheres que percebem a realidade de um forma mais profunda e alertam para a verdade das coisas e dos acontecimentos denunciando as distorções e tudo aquilo que destrói a ordem querida pelo Espírito.

Este talvez seja o sinal mais eloquente do cuidado de Deus pela Amazônia. Seus profetas e suas profetisas, que dão voz ao lamento da natureza destruída de forma irracional, provocando miséria e sofrimento. Alguns se tornaram conhecidos, mas a grande maioria permanece incógnita do grande público vivendo cada dia a luta da preservação. São comunidades ribeirinhas, povos indígenas, agentes de pastoral, cientistas, mães e pais de família que gastam a vida acreditando que vale a pena preservar e que o futuro está do lado deles.

Invocamos também Maria, a mãe de Jesus. Ela é uma pessoa humana. Acreditamos que está junto de seu Filho que na cruz nos entregou aos seus cuidados. A vida de Maria foi marcada pelo Espírito que nela gerou Jesus. Sua missão foi de ser mãe. Por isso, nós invocamos constantemente seu auxílio. No dia de Pentecostes, a Igreja de Manaus se reúne para celebrar a Eucaristia, memória da Páscoa, que se completa com a vinda do Espírito, o defensor e consolador, aquele que nos faz entender quem é Jesus e o seu projeto salvífico, dando-nos força para sermos suas testemunhas.

Ser Igreja de Jesus na Amazônia é um privilégio e uma responsabilidade. O que diz o Espírito à Igreja desta parte tão especial do planeta. Penso que ele nos pede que escutemos as vozes da natureza, numa atitude espiritual de respeito e admiração. Isto inclui pesquisa científica séria para que a humanidade usufrua das riquezas escondidas sem destruição desnecessária do meio ambiente. Ele pede que levemos a sério os povos originários com suas culturas milenares que atingem níveis invejáveis de humanidade. Que coloquemos sempre as pessoas no centro de nossas preocupações e projetos. O cristão é apaixonado pela verdade. Não podemos permitir que a fantasia destrua a casa comum. Com criatividade, tecnologia, investimentos sérios, respeito pelo criado, com uma mística que leve em conta a realidade de sons e de cores que nos envolve, seremos os artesãos de um mundo diferente. Os ritos são a forma de vivermos o Mistério. Que a multidão reunida hoje nos faça experimentar a alegria de uma humanidade nova e reconciliada com Deus, consigo mesma e com a natureza, mãe a ser amada e não inimigo a ser vencido.

ARTIGO DE D. SERGIO EDUARDO CASTRIANI – Arcebispo Metropolitano de Manaus
JORNAL:  AMAZONAS EM TEMPO
Data de Publicação: 04.06.2017



Por: Arthur Amorim

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz