Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Centenário das aparições de N.S. de Fátima reúne milhares de fiéis em uma extensa programação

Carreata, missa, procissão luminosa, missa campal, arraial, show musical. Esses foram alguns dos momentos principais que fizeram parte de toda uma programação comemorativa ao ano do centenário da aparição de Nossa Senhora de Fátima, em 1917 aos três pastorinhos na cidade de Fátima, em Portugal.  E, durante o decorrer desse sábado (13/05) o Santuário dedicado à santa, localizado no bairro Praça 14 de Janeiro, foi pequeno diante de tantos devotos que apareceram dos quatro cantos da cidade, para participar dessa vasta programação dedicada à santa que começou as 6h com a “Alvorada Mariana” seguido de uma missa.

Às 12h foi realizada a segunda celebração no santuário. Por volta das 16h aconteceu a carreata saindo do Santuário de Fátima com os carros buzinando e os fogos avisando o trajeto, enquanto a imagem da santa era conduzida debaixo de uma fina chuva até a Igreja de São Sebastião onde as 18h iniciou-se a celebração. Após a celebração, fiéis e devotos seguiram em procissão com as velas acesas fazendo o translado de retorno da imagem de N. S. de Fátima de volta ao Santuário. Ao chegarem no local, cerca de quase 3 mil devotos assistiram à missa campal presidida por Dom Tadeu Canavarro, bispo auxiliar de Manaus, que concelebrou ao lado do Pe. João Aparecido Bergamasco, reitor do Santuário de Fátima; Frei Paulo Xavier, pároco da paróquia de São Sebastião e outros sacerdotes convidados.

Para Dom Tadeu, que estava muito feliz por estar pela primeira no Santuário de Fátima, ainda mais durante uma ocasião tão especial, celebrar a festa de Fátima é estar comprometido com a paz conforme a Mãe de Jesus nos ensinou em suas aparições. “Celebramos hoje a Festa de N. S. De Fátima, que veio nos ensinar a proclamar a paz por meio do fruto da oração, conforme ela nos ensinou quando fez as suas aparições, num momento muito difícil em que o mundo estava em guerra. Que todos nós possamos honra-la rezando o terço e nesse sentido buscamos ser o sinal da paz, que é o sinal de Cristo vivo e ressuscitado”, disse o bispo auxiliar.

Já para o reitor do Santuário, a festa foi um momento especial, que começou no ternário (dia 30/04) e finalizou nesta noite, onde os peregrinos fortaleceram sua fé e sentiram a graça de Deus ao longo de toda a programação do dia. “O encerramento dos festejos reuniu muitos devotos participando, ajudando, foi um momento que a comunidade sentiu forte a fé, que se fortificou ainda mais com a presença dos peregrinos que desde as 6h da manhã estão participando das celebrações, da carreata, da oração do terço o dia todo. Nossa Senhora é um sinal de fé, esperança e amor, e trouxe muita paz para todos os peregrinos, só temos a agradecer a todos que vivenciaram e sentiram a benção Deus por meio de Nossa Senhora de Fátima”, comentou Pe. João Aparecido em tom de alegria e satisfação.

Para todos os devotos que participaram, sozinhos ou com a família, foi realmente uma linda festa que mesmo no fim, deixou um gostinho de quero mais, onde o que se viu foi um sentimento único de fé, devoção e respeito à Nossa Senhora. “Sabemos que Maria nos leva a Jesus, ela não é uma deusa, mais é a mãe do filho de Deus e hoje nós podemos observar que temos católicos mais maduros na fé que entendem a importância de Maria para todo Cristão”, disse o senhor Dantas ao termino da missa campal que ele assistiu ao lado da esposa e filha. E, para finalizar com chave de ouro, os festejos do Centenário de Fátima continuaram no arraial realizado na quadra da igreja, tendo como atração principal, a apresentação do cantor católico Gil Monteiro.

Carreata e procissão

Um dos momentos mais esperados foi o translado da imagem da Santa do Santuário até a Igreja de São Sebastião, que foi realizado as 16h por meio de uma carreata (cerca de 12 veículos participaram) e até por alguns devotos que resolveram seguir a pé ao lado dos carros, acompanhando a imagem da santinha. Os que estavam nos carros iam com os faróis ligados e com os piscas ligado e, vez ou outra, buzinando. Nem mesmo a chuva conseguiu estragar a beleza desse momento, muito pelo contrário parece ter tornado ainda mais especial para alguns fiéis que acompanharam o trajeto e para outros que de suas residências ou estabelecimentos comerciais acenavam e rezavam ao ver a Santa passar.

“É um privilégio poder participar de todos esses momentos em honra à Nossa Senhora e, com ou sem chuva, a gente vem para participar como forma de agradecer por tudo que ela tem feito por nós”, comentou Maria Carolina, que mesmo chegando toda molhada da carreata, era só sorrisos e alegria. A emoção também tomou conta dos devotos que já esperavam pela imagem dentro da igreja, quando a mesma entrou e foi saudade por uma forte salva de palmas e cânticos à Maria, foi difícil segurar as lágrimas. “É uma emoção muito grande participar desse momento, a gente sente forte com a presença da mãe de Deus no meio de nós e só temos de agradecer”, disse Ana Lúcia, vinda da Área Missionária Santa Mônica, setor Padre Pedro Vignola.

Sem dúvida um dos mais felizes com a visita da imagem era o Frei Paulo Xavier, que conduziu as orações, os louvores e os cânticos à Nossa Senhora junto com os fiéis até o início da celebração as 18h, salientando também a canonização dos irmãos Francisco e Jacinta Marto, que ocorreu neste sábado em Portugal em uma cerimônia presidida pelo Papa Francisco que durou cerca de 3h. As 19h, os devotos que estavam na celebração se reuniram a uma multidão de fiéis que já aguardavam do lado de fora da igreja, a espera do início da procissão rumo ao santuário da Santa, em meio aos fogos de artifício que clareavam os céus, não era difícil encontrar na multidão que caminhava, alguém pagando alguma promessa ou caminhando com lágrimas nos olhos, terço e vela  na mão, fazendo sua oração num clima de muita fé e a emoção.

Um breve resumo sobre as aparições

A primeira aparição de Nossa Senhor de Fátima ocorreu no dia 13 de maio de 1917 sobre a copa de uma pequena árvore chamada azinheira, quando três pastores, Lúcia, Francisco e Jacinta, estavam brincando num lugar chamado Cova da Iria. Durante oito vezes, em cada dia 13 do mês, Nossa Senhora aparecia aos três pastores e pedia que rezassem o terço. Entre as aparições, muitos fiéis foram ao encontro, alguns chegaram a presenciar algum fenômeno. Na última aparição, quase 70 mil pessoas, assistiram ao milagre do sol. O jornal “o século” documentou as aparições.

 

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz