Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Nota de pesar da Arquidiocese de Manaus pelo falecimento de dom Clóvis Frainer

Dom Sérgio Castriani emite nota de pesar pelo falecimento de D. Clóvis Frainer, que foi o 4º Arcebispo Metropolitano de Manaus (1985-1991).


Arquidiocese de Manaus

Nota de Pesar

“Enviou-me para evangelizar” (cf Lc 4,18)

A Arquidiocese de Manaus, une-se a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) no seu pesar por ocasião da Páscoa definitiva de Dom Frei Clóvis Frainer, ocorrida no último dia 4 de abril. Às vésperas de celebrar a solene memória pascal de Jesus recordamos com gratidão a passagem de D. Clóvis pela Igreja Particular de Manaus como seu 4º Arcebispo Metropolitano (1985-1991).

Era comum escutar em seu discurso a gratidão pelo “dom de Deus” e assim guardamos a passagem de Dom Clóvis em nossa caminhada eclesial. Durante seu pastoreio foi responsável pela reorganização administrativa da Arquidiocese, dinamizou a Coordenação de Pastoral e coordenou duas Assembleias Arquidiocesanas de Pastoral; foi um grande incentivador das vocações para o clero local e reestruturou o Seminário Arquidiocesano São José proporcionando novas instalações e consistência no processo formativo. Organizou a Igreja de Manaus em regiões episcopais e fortaleceu a vida das Paróquias por meio das visitas pastorais. Homem de respostas imediatas e práticas suscitou a admiração e reconhecimento, sua passagem pelo meio de nós foi um “dom de Deus”!
“O Cristo ressuscitado e glorioso é a fonte profunda da nossa esperança” (Evangelii Gaudium, 275). Nossa prece neste dia se enche desta confiança. Aonde parecia existir a morte, brotam por todos os lados os rebentos da ressurreição.

 

Manaus, 5 de abril de 2017.

Sérgio Eduardo Castriani
Arcebispo Metropolitano


 

 

D. Clóvis Frainer, que foi o 4º Arcebispo Metropolitano de Manaus (1985-1991).

Dom Clovis após Crisma em agosto de 1990

 

Trajetória

Dom Frei Clóvis Frainer nasceu na cidade de Veranópolis, no dia 23 de março de 1931. Estudou nos Seminários Capuchinhos de Veranópolis e Vila Ipê, ingressando depois no Noviciado em Flores da Cunha, onde emitiu seus primeiros votos religiosos no dia 6 de janeiro de 1949. Estudou filosofia em Marau e teologia em Garibaidi e Porto Alegre. Recebeu a Ordenação Sacerdotal das mãos do Cardeal Dom Vicente Scherer no dia 27 de março 1955. Seus superiores o enviaram para Roma, onde se licenciou em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Gregoriana e em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico.

Em 1976 obteve os títulos de Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Em 1970, exerceu a função de Coordenador de Pastoral da Diocese de Santa Catarina. Em 1977, foi para o Mato Grosso do Sul, onde trabalhou na paróquia de Fátima, exercendo as funções de Coordenador de Pastoral e Professor de Escritura no Instituto Regional de Teologia.

Em janeiro de 1978, o Papa Paulo VI o elegeu para o episcopado. Seus primeiros anos de serviço episcopal foram exercidos no Mato Grosso do Sul, sendo o primeiro bispo da recém-criada Prelazia de Coxim, no Mato Grosso do Sul.

Atendendo ao pedido do Papa João Paulo II, foi transferido para Manaus, assumindo a Arquidiocese por 6 anos. Em maio de 1991, novo pedido foi-lhe feito. Dessa vez para assumir a Arquidiocese de Juiz de Fora, onde tomou posse em 15 de agosto de 1991. Dom Clóvis se destacou por ser um bispo pastoralista, sempre voltado ao povo. Se destacou também, pelo Mutirão Evangelizador, em preparação para o Ano Jubilar de 2000. Visitou toda a Arquidiocese, animando para as Assembleias Arquidiocesanas e para o Mutirão Evangelizador do ano 2000.

 

Fonte: https://www.arquidiocesejuizdefora.org.br/


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz