Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Menos qualidade de vida no bioma Amazônia

Por Padre Geraldo Bendaham

Na Amazônia, a maior causa da poluição ambiental são as queimadas. As queimadas produzem nuvens de fumaças que encobrem cidades inteiras e provocam mudança no ar, causando danos para florestas, animais, fontes de água e principalmente para pessoas que sentem dificuldades para respirar.

Desde 1995 nota-se o aumento das queimadas na Amazônia. No entanto, somente a partir de 1998 o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, iniciou o monitoramento via satélite dos focos das queimadas. Mesmo sabendo onde ocorrem os focos com a precisão pelo satélite, não foi possível evitar o aumento das queimadas.

Por exemplo, consta no relatório comparativo do INPE, que em 1998 ocorreram somente no Amazonas, 946 focos de queimadas. No mesmo relatório, publicado em 2015, percebe-se um aumento gigantesco de focos de queimadas. O Satélite constatou 11.646 (onze mil seiscentas e quarenta e seis) queimadas no Amazonas.

No Pará não foram diferentes, ou seja, também aumentaram o número de queimadas. Em 1998 foram 20.282 (vinte mil duzentas e oitenta e dois focos de queimadas. Em 2015 constata-se 22. 782 (vinte e dois mil setecentos e oitenta e dois focos de incêndio). No entanto, ainda no Pará houve ano que as queimadas foram altíssimas. Por exemplo em 2012 ocorreram 48.159 (quarenta e oito mil cento e cinquenta e nove) focos de incêndio em todo Estado. Na região Norte, município de Lábrea – Amazonas, correram 1.561 focos de queimadas. Já no município de São Félix do Xingu (PA), ocorreram 3.821.
Estes dados são suficientes para constatar que o Bioma Amazônia está pegando fogo, e provocando menos qualidade de vida. Nos meses de agosto a outubro, época do verão, agrava-se as queimadas como o fenômeno El Niño provocando secas na Região Norte.

As consequências das queimadas provocadas criminosamente ou acidentalmente, estão destruindo florestas, matando animais e acabando com as áreas verdes urbanas. As nuvens de fumaças poluem as cidades e fazem sofrer os moradores que não conseguem respirar devido a má qualidade do ar.

Diante desta bruta realidade ecológica, os governantes e a sociedade em geral poderiam se preparar melhor para evitar as queimadas. Não basta constatar via satélite. É urgente evita-las!

A Igreja Católica, através da Campanha da Fraternidade de 2017, cujo ema é: Biomas Baileiros e defesa da Vida, conclama toda sociedade à Conversão Ecológica.

 

Por Pe. Geraldo F. Bendaham

 


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz