Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Arquidiocese inicia mês de oração pelo encarcerado como parte do Jubileu da Misericordia

A Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Manaus promoveu na manhã da última quarta-feira (5/10), na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, uma missa presidida por Dom Sérgio que marcou o início do mês em que a Igreja Católica convoca todos a intensificar as orações pelos encarcerados.

Na homilia, Dom Sérgio enfatizou a importância do perdão para todos. “Jesus nos ensinou o Pai Nosso, em que a primeira coisa é chamar a Deus de Pai, querer que o Reino de Deus venha e que seja feita a vontade do Pai, depois ter a humildade de pedir o pão e o perdão, duas coisas sem as quais a gente não vive. Perdoar e ser perdoado é essencial, pois sem perdão a vida acaba e vem a violência e a morte. Santo Agostinho disse que tudo o que precisamos pedir está no Pai Nosso, pois necessitamos de comida e de perdão que envolve união, reconciliação, amor, amizade, compaixão. Deus, Pai misericordioso, enviou Jesus para nos dar pão e perdão, por isso rezamos sempre o Pai Nosso”, destacou o arcebispo.

 

Na oportunidade, a agente da Pastoral Carcerária, Maria Matos de Souza, explicou aos presos o que é o jubileu do encarcerado.  “O jubileu significa o amor, o perdão e a misericórdia que temos que ter para com conosco e para com o próximo. E serão convidados os familiares dos presos e os que encontram-se em regime semi-aberto para participarem, no dia 6 de novembro, às 7h30, na Catedral, da missa de encerramento deste mês de oração.

O diácono Paulo Sérgio explicou que será um mês em que a Igreja intensifica as orações pelos que se encontram presos e que a Pastoral Carcerária irá realizar atividades em todas as unidades prisionais que estão dentro da Arquidiocese de Manaus, estimulando tanto os detentos como seus familiares às práticas do perdão e da misericórdia.  Ele afirmou que o perdão é a comunicação com o outro, com misericórdia e refletindo o rosto de Jesus àquele que está ao nosso lado, amando os nossos inimigos, aqueles que nos fizeram mal, sendo esse o ato maior: pedir e dar o perdão.

“Dentro do jubileu da misericórdia, no ano de 2016, o papa convoca vários grupos e um deles é dos encarcerados, que será no dia 6 de novembro em Roma.  Por isso, nós queremos entrar em comunhão com ele e hoje aconteceu a abertura desse jubileu em todas as unidades prisionais, onde serão feitas inúmeras atividades, sobretudo celebrar a reconciliação. O sentido do jubileu é o perdão, pois sem perdão ninguém vive. Para nós, visitar o preso é uma obra de misericórdia, mas aqueles que não podem ou não querem visitar, podem ao menos estar em comunhão, rezando pelos encarcerados e colaborando com aqueles que vão visita-los. Também é uma grande oportunidade para que a sociedade pense no sistema carcerário, cuja população parece ser invisível. Para quem está dentro do sistema, os presos, é uma oportunidade de se perdoar e reconciliar-se com a sociedade”, explicou Dom Sérgio.

O encerramento deste jubileu acontecerá no dia 6 de novembro, com celebração eucarística na Catedral Metropolitana de Manaus, às 7h30, para o qual serão convidados os presos do regime semi-aberto e os familiares dos presos do regime fechado.

Por Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz