Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Área missionária festeja 75 do martírio de São Maximiliano Kolbe

A �rea Mission�ria S�o Maximiliano Kolbe comemorou, no dia 14 de agosto, os 75 anos do mart�rio de seu padroeiro, com celebra��o presidida pelo vig�rio Frei Pedro Rodrigues na Igreja da Comunidade Santa Edwirges, localizada na rua Oriental, Beco Santa Rita s/n� – Conjunto Morada do Sol – Aleixo. Na ocasi�o tamb�m festejou-se o dia dos pais e a abertura da semana da fam�lia.

Segundo o p�roco, Frei Fl�vio Freitas de Amorim (OFMConv), as comunidades da �rea mission�ria dedicada � S�o Maximiliano Kolbe, Sagrado Cora��o e Santa Edwirges, marcaram presen�a na festa do padroeiro e mostraram qu�o bonita � a f�, com a prepara��o do festejo e da missa dos dias dos pais que tamb�m marcou a abertura � semana da fam�lia.

?A participa��o de todos mostrou a beleza das comunidades que se prepararam n�o s� para a abertura da semana da fam�lia, que coincidentemente esse ano a solenidade de S�o Maximiliano caiu na mesma data, mas tamb�m para a homenagem ao dia dos pais. Ent�o, como ele � patrono das fam�lias, eu avalio isso como uma grande provid�ncia de Deus finalizar a festa dos 75 anos de seu mart�rio, ao mesmo tempo que iniciamos a semana da fam�lia e comemoramos o dia dos pais numa �nica festa?, disse Frei Fl�vio.

Fato lembrado tamb�m por Frei Pedro durante a sua hom�lia. ?Hoje homenageamos S�o Maximiliano, o m�rtir da caridade que deu a vida no campo de concentra��o durante a segunda guerra mundial. Um homem que seguiu o exemplo de Jesus e deu a sua vida mostrando que n�o h� amor maior que doar a vida pelo irm�o. Mas tamb�m n�o podemos deixar de falar aos pais, sobre esse dom dado por Deus e voca��o t�o sublime no seio da igreja, com capacidade de zelar, amar e dar aten��o total aos filhos assim como fez o pai por excel�ncia que � Deus?, comentou o Frei.

Ao fim da missa, os pais foram convidados a subir no altar, participar de sorteios de brindes e receber uma ben��o toda especial do frei juntamente com a rel�quia de S�o Maximiliano. ?N�s s� somos capazes de dar aquilo que n�s recebemos. N�o se pode dar amor quem nunca recebeu amor e hoje, � hora de cada pai parar e pensar como esta tratando seus filhos, pois n�o � feio abra�ar e tratar os filhos com amor e carinho. Lembramos que S�o Maximiliano morreu para salvar um pai de fam�lia e se tornou santo sendo testemunha da vontade de Deus, isso � um ensinamento que se deve dar aos filhos?, finalizou.

Hist�rico do santo

Raimundo Kolbe nasceu em 1894, na Pol�nia, numa fam�lia oper�ria que o introduziu no seguimento de Cristo e, mais tarde, ajudou-o entrar para a fam�lia franciscana, onde tomou o nome de Maximiliano Maria. Ao ser mandado para terminar sua forma��o em Roma, Maximiliano, inspirado pelo seu desejo de conquistar o mundo inteiro a Cristo por meio de Maria Imaculada, fundou o movimento de apostolado mariano chamado ?Mil�cia da Imaculada?.

Como sacerdote foi professor, mas em busca de ensinar o caminho da salva��o, empenhou-se no apostolado atrav�s da imprensa e p�de, assim, evangelizar em muitos pa�ses, isto sempre na obedi�ncia �s autoridades, tanto assim que deixou o fecundo trabalho no Jap�o para assumir a dire��o de um grande convento franciscano na Pol�nia.

Com o in�cio da Segunda Grande Guerra Mundial, a Pol�nia foi tomada por nazistas e, com isto, Frei Maximiliano foi preso duas vezes, sendo que a pris�o definitiva, ocorrida em 1941, levou-o para Vars�via, e posteriormente, para o campo de concentra��o em Auschwitz, onde no campo de exterm�nio heroicamente evangelizou com a vida e morte. Aconteceu que diante da fuga de um prisioneiro, dez pagariam com a morte, sendo que um, desesperadamente, caiu em prantos:

?Minha mulher, meus filhinhos! N�o os tornarei a ver!?. Movido pelo amor que vence a morte, S�o Maximiliano Maria Kolbe dirigiu-se ao Oficial com a decis�o pr�pria de um m�rtir da caridade, ou seja, substituir o pai de fam�lia e ajudar a morrer os outros nove e, foi aceita, pois se identificou: ?Sou um Padre Cat�lico?. Em 10 de Outubro de 1982, o Papa Jo�o Paulo II canonizou este seu compatriota, j� beatificado por Paulo VI em 1971.

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz